Arquivo da categoria: Uncategorized

016 – MUHAMMAD (SALALAHU ALEIHI WASSALAM)

016 – MUHAMMAD (SALALAHU ALEIHI WASSALAM)

 

Inna Laha wa mala-i-katahú yu-çalúna ãlá nabi-í. Yá a-yu-al lazina amanú sallú ãleihi wa sallimu taslíman. “Na verdade, Allah e os Seus anjos derramam bênçãos sobre o Profeta. Ó vós que credes! Pedi bênçãos para ele e saudai-o com respeitosa saudação”. Cur’ane 33:56.

Leia nos capítulos a seguir a vida e o carácter de Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) o Mensageiro enviado como misericórdia para toda a humanidade.

 

016.01 – AS VIRTUDES DE DIZER OU ESCREVER SALALAHU ALEIHI WASSALAM

016.01 – AS VIRTUDES DE DIZER OU ESCREVER SALALAHU ALEIHI WASSALAM:

Inna Laha wa mala-i-katahú yu-çalúna ãlá nabi-í. Yá a-yu-al lazina amanú sallú ãleihi wa sallimu taslíman. “Na verdade, Allah e os Seus anjos derramam bênçãos sobre o Profeta. Ó vós que credes! Pedi bênçãos para ele e saudai-o com respeitosa saudação”. Cur’ane 33:56.

Allah demonstra elevada consideração e afecto pelo trabalho desenvolvido pelos Seus Profetas. São as Suas melhores criaturas, que vieram ao mundo para trazerem a mesma mensagem de Unicidade Divina (Lá ilaha illaAllah – Não há outra divindade senão Deus). “Glorificado seja o teu Senhor da Majestade, acima disso que Lhe atribuem. E a paz esteja com eles que foram enviados como mensageiros”. Cur’ane 37:180,181. Após a criação de Adam (Aleihi Salam), Adão, que a Paz de Allah esteja com ele, primeiro homem e primeiro Profeta, Allah Subhanahu Wataala ordenou aos anjos para se prostrarem perante ele, em sinal de respeito. O Profeta Ibrahim (Aleihi Salam) – Abraão, que a Paz de Allah esteja com ele, também foi abençoado por Allah. Para demonstrar à Sua criação, a importância do último dos Profetas, Allah refere no Cur’ane que Ele e os Seus anjos derramam bênçãos para Muhammad. Em seguida, “ordena” aos crentes, para também pedirem bênçãos para ele.

O Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “A pessoa que ouvir falar de mim, deve enviar Durud (bênçãos) e aquele que enviar um Durd para mim, uma vez, Allah conceder-lhe-á dez Duruds (misericórdias) e perdoar-lhe-á dez pecados e elevará dez graus para ele”. Ahmad e Nassai. Os nossos sábios recomendam-nos para pedirmos bênçãos para o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam), nomeadamente durante o salat – orações (no tashahhud), durante o kutba (pelo imamo que está a dirigir o sermão), antes duma prece a Deus (quando pedimos perdão ou quando solicitamos qualquer outro alivio), depois do azan, ao entrar e sair das mesquitas, quando entramos nas casas (depois de saudarmos com Assalamo Aleikum), quando ouvirmos ou mencionarmos o nome dele e ao escrever alguma passagem onde o seu nome é mencionado. Às sextas-feiras, devemos incrementar o pedido de bênçãos. Quando formos fazer Umra ou Haje, em Maka, devemos passar a maior parte do tempo fazendo Tawaf (circundar a Caaba). Quando se proporcionar a visita à cidade de Madina, onde se encontra sepultado o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam), as nossas línguas deverão estar ocupadas a pedir bênçãos para ele.

Hazrat Ali (Radiyalláhu na-hu) diz que Raçulullah (Sallalláho alaihi wa sallam) disse: “Avaro é aquele que ao ouvir meu nome, não me envia Durud.” (NASSAI).

Há várias formas de pedir bênçãos para o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam). Uma das mais simples é recitar “Allahuma Sallí ãlá Muhammadin wa ãlá áli Muhammadin”. É referido no Bukhari, 55:588, que as pessoas perguntaram ao Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam), qual a melhor maneira de pedir bênçãos para ele. Ele referiu o Durud-Ebrahim, que nós recitamos nas nossas orações, na posição de sentado (tashahhud). “Ó Allah derrame bênçãos sobre Muhammad e sobre a sua progénie (família), como derramastes bênçãos sobre Ibrahim (Abraão) e sua progénie. Ó Allah abençoa Muhammad e sua família como abençoaste Ibrahim e sua família, sem dúvida Tu És Possuidor do Louvor e da Glória”.

As bênçãos para o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam), podem também ser pedidas junto à campa dele, porque ele as ouvirá. Segundo diversos hadices, os Profetas e Mensageiros (Aleihi Salam), encontram-se vivos nas suas campas e efectuam o salah. As bênçãos também podem ser pedidas em qualquer lugar do mundo, pois os anjos se encarregarão de as transmitir. Hazrat Abu Huraira (Radiyalahu an-hu) referiu que o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “Aquele que envia bênçãos perto da minha campa, eu próprio o ouço e aquele que, de longe, me envia um durud, me é transmitido”. Baihaqui e Mishkat.      

Pedir bênçãos para o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam), para além de cumprirmos com as ordens de Allah, demonstramos o amor e consideração que sentimos por ele. “Aquele que sente amor por alguém, lembra-se constantemente dele”. No dia em que Allah levantar a humanidade para prestação de contas, os crentes ansiarão por estar mais perto do Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam). Yahya relatou-me, que ouviu de Malik, este de Abu Zinad, este de Al-Araj e deste de Abu Huraira (Radyialahu an-hu), de que o Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “A todos os Profetas foram-lhe dadas suplicas (preces) e eu quero preservar o meu duá como intercessão, no outro mundo, pela minha comunidade”. Maliks Muwatta. Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “No Dia do Julgamento Final, a pessoa que estará mais próxima de mim, será aquela que enviou mais Durud para mim.” Tirmizi. No dia da Ressurreição, a sede e a preocupação serão imensas. “No Dia em que soar a trombeta e a segunda a seguir aquela, nesse Dia, os corações batem doridos enquanto os olhos se abaixam amargurados”. Cur’ane 79: 6 a 9.

No local da ressurreição, estará Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) para nos dar de beber a água de Khauçar, que nos acalmará a sede e os tormentos desse dia. Segundo Abu Hurairah (Radiyalahu an-hu), o Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “O meu haud (reservatório) será muito largo, maior do que a distância que separa Ealah de Aden. Será mais branco do que o gelo e mais doce do que o mel com leite; os seus utensílios serão em maior número do que as estrelas. Eu afastarei as pessoas estranhas, da mesma maneira que são afastados os camelos estranhos ao haud (reservatório). As pessoas perguntaram: “Reconhecer-nos-ás nesse dia, ó Profeta de Deus?” Ele respondeu: “Sim, vós tereis um sinal que mais nenhum ummah (povo) possuirá. Vireis ter comigo num estado tal que as vossas faces, mãos e pés brilharão devido aos feitos do wudu (ablução).” – Muslim e Mishkaat.

“Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. Cur’ane 14:41

Nos dois últimos versículos do Surat Taubah, Allah Subhanna Wataala refere a piedade e a misericórdia do Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) para com o seu Umah (seguidores): “HOUVE UM MENSAGEIRO DO VOSSO POVO QUE VEIO PARA VÓS, QUE TOMOU SOBRE SEUS OMBROS AS VOSSAS FALHAS, CHEIO DE APREENSÕES POR VOSSA CAUSA, CHEIO DE PIEDADE PARA OS CRENTES E MISERICORDIOSO. AGORA, SE ELES SE AFASTAM, DIZ-LHES: “ALLAH É SUFICIENTE PARA MIM. NÃO HÁ DEUS A NÃO ELE. EM ELE DEPOSITEI A MINHA CONFIANÇA E ELE É O SENHOR DO TRONO SUBLIME” Cur’ane 9.128:129.

Os sahabas (Radiyalahu an-hum) – companheiros do Profeta, também pelo amor e amizade pelo Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) ansiavam ficar ao lado dele, a todo o tempo. Mas tal não era possível, porque cada um tinha as suas próprias actividades e responsabilidades, nomeadamente familiares e por isso sentiam-se sempre tristes com a separação, mesmo que momentânea. Também tinham consciência de que um dia todos iam morrer e que a separação era inevitável. Foi o exemplo de Thawban (Radialahu an-hu) que ajudava o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) em diversas tarefas. Certa vez, quando se encontrava na companhia do Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam), ficou com os olhos lacrimejando. Ao ser perguntado os motivos da tristeza, ele referiu o amor que sentia pelo Profeta e que tinha medo de não o encontrar no Akhirat (vida futura) e não suportava estar longe dele. Referiu também que o Profeta estará num lugar privilegiado, bem distante dele, devido ao elevado grau que tinha perante Deus. Por outro lado, ele não tinha a certeza de que iria para o Paraíso. Tudo isto lhe causava uma imensa tristeza. Por causa desta preocupação, Deus revelou o seguinte versículo: “E aqueles que obedecem a Allah e ao Seu Mensageiro, estarão na companhia dos que foram agraciados por Allah; dos Profetas (que ensinam), dos sinceros (amantes da fé), dos mártires (que comprovam) e dos justos (que fazem o bem); que excelentes companheiros serão!”. 4:69.

Ja’far Ibn Abdullah conta: “Sonhei com Abu Zurah (um dos eminentes estudiosos de Hadith – Tradições do Profeta Muhammad Salalalhu Aleihi Wassalam) que se encontrava no céu, liderando a oração dos Anjos. Perguntei-lhe como foi possível adquirir aquele estatuto? Respondeu: “Com esta minha mão escrevi um milhão de Ahadith e sempre que escrevia o nome do Profeta de Deus (Salalahu Aleihi Wassalam) acrescentava (Salalahu Aleihi Wassalam), e o Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) disse aquele que lhe enviasse uma vez Durud, Deus enviaria dez bênçãos sobre ele”. Graças a esta acção, Deus lhe concedeu este privilégio”. Nota: Sendo assim, Allah terá enviado dez milhões de bênçãos sobre ele.

Para o Profeta Muhammad, utilizamos a expressão “Salalahu Aleihi Wassalam” – Que as Bênçãos e a Paz de Deus estejam com ele. Sempre que mencionamos ou ouvimos o nome de qualquer outro Profeta, dizemos “Aleihi Salam” – que a Paz de Deus esteja com ele. A mesma expressão é utilizada para “saudar” os anjos, em especial, Jibril (Gabriel), Mikail (Miguel), Malik, Israfil (Rafael), Ridwan e Israil. Para os Companheiros do Profeta, pedimos a Deus, dizendo “Radiyalahu an-hu” – que Deus esteja satisfeito com ele (para um homem), Radiyalahu an-há (para uma senhora) e Radiyalahu an-hum (no plural). Apesar desta expressão / pedido, sob a forma de súplica, ser utilizada, na generalidade para os Companheiros do Profeta, pode também ser utilizada para todos os muçulmanos piedosos. No entanto, é habitual utilizarmos a prece “Que Deus tenha Misericórdia deles – Rahmatullahi Aleihi”, para todos os restantes piedosos que se distinguiram e se empenharam, passados e presentes, nomeadamente no estudo, na divulgação e no cumprimento da religião. Todos eles são superiores às restantes criaturas, porque apesar de terem a capacidade do livre arbítrio, seguiram e seguem o caminho recto da virtude. Serão também considerados superiores aos anjos, porque estes não têm o poder para desobedecer a Deus. Esses piedosos, serão agraciados por Allah Subhana Wataãla, conforme os versículos 7 e 8 do Surat 98 Al-Bayinah: “Os que têm fé em Deus e praticam o bem, são as melhores criaturas. Cuja recompensa está com o seu Senhor: jardins do Éden, abaixo dos quais correm os rios, onde habitarão eternamente. Deus estará satisfeito com eles e eles estarão satisfeitos com Ele. Isto será para quem teme o seu Senhor”.

“Wa ma alaina il lal balá gul mubin”  “E não nos cabe mais do que transmitir claramente a mensagem”. Surat Yácin 36:17.

“Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. Cur’ane 14:41

“Wa Áhiro da wuahum anil hamdulillahi Rabil ãlamine”. “E a conclusão das suas preces será: Louvado sejaAllah, Senhor do Universo!”. 10.10.

Abdul Rehman Mangá

015.05 – CONFERÊNCIA ACERCA DE IBRAHIM (ALEIHI SALAM)

015.05 – CONFERÊNCIA ACERCA DE IBRAHIM (ALEIHI SALAM)

ABRAÂO (QUA A PAZ DE DEUS ESTEJA COM ELE)

O Padre Jesuíta, Miguel Gonçalves Ferreira, do “Centro de Reflexão e Encontro Universitário Inácio de Loiola”, na cidade do Porto – Portugal, convidou-me para falar aos jovens universitários Católicos, acerca de Ibrahim – Abraão (que a Paz de Allah esteja com ele), Profeta e Mensageiro de Deus, tronco comum das três religiões monoteístas, Judaísmo, Cristianismo e Islamismo. Segue o resumo da minha intervenção:

Ibrahim – Abraão (que a Allah de Deus esteja com ele), obediente a Allah, foi um monoteísta sincero, submisso ao Allah, Deus Único. Nasceu e viveu entre os idólatras, que também adoravam astros e acreditavam que os respectivos movimentos tinham influência nas suas vidas. O seu pai era um dos escultores de ídolos. Abraão, cedo se apercebeu de que os ídolos e os astros adorados pelo povo, não ouviam não falavam e não os beneficiava. No Cur’ane, é referido o diálogo entre o Profeta Abraão e o pai: “Pai, porque adoras aquilo que não ouve nem vê e em nada te pode beneficiar? Pai, foi-me revelado algo de sabedoria que tu não recebeste. Segue-me pois, vou conduzir-te para o caminho recto.” 19:42,43. Na presença dos idólatras, com a intenção de corrigir as suas crenças, quando começou a escurecer, viu uma estrela e disse-lhes: “Este é o meu senhor!” Mas quando a estrela desapareceu de vista, ele disse que não ama a quem desaparece. Mas quando viu a lua brilhando, disse: “A lua é o meu senhor!” Mas quando nasceu o dia e a visibilidade da lua desapareceu, com o nascimento do sol, disse: “O sol é o meu senhor, é maior que a lua”. Após o por do sol, Abraão olhou para o céu e disse: “Eu me afasto da adoração dos astros, do sol e da lua. O verdadeiro Deus não desaparece, então adorarei a Allah que criou as estrelas, a lua e o sol, a terra e todos nós”. “Ó meu povo, eu estou livre a tudo o que vocês associam a Allah (a Única divindade).”  

O convite que fez ao seu pai e ao resto da população, não surtiu qualquer efeito, pois eles pretendiam manter, a todo o custo, as suas tradições politeístas. Abraão acabou por ser o protagonista da destruição dos ídolos. O povo convidou Abraão (que a Paz de Allah esteja com ele) para participar nas festividades religiosas que iam ter lugar fora da localidade, onde iam todos, o povo, o rei, os religiosos e os astrólogos. Ele arranjou um pretexto para não ir e aproveitou a ausência deles para com um machado destruir todos os ídolos, com excepção do maior, junto do qual deixou ficar o machado. Quando regressaram, ficaram furiosos com a destruição e sabiam que o ídolo não tinha qualquer poder e só poderia haver um responsável – Abraão, o único que ficara na localidade. Foi então chamado à presença deles para ser julgado, começando com a pergunta óbvia se foi ele o causador da destruição. Respondeu de que tinha sido o grande ídolo e deviam perguntar a ele. A resposta pronta dos líderes foi de que todos sabem que os ídolos não falam, pelo que não fazia sentido, dirigir-lhes quaisquer perguntas. Então irónico, Abraão perguntou-lhes se sabiam que os ídolos não têm quaisquer poderes, porque teimavam em adorá-los? Foi assim considerado inimigo para ser punido.

A ousadia chegou aos ouvidos de nimrod, rei da Babilónia que o condenou à morte. Foi lançado numa fogueira. Embora sabendo da situação traumática que estava sujeito, Ibrahim tinha a firme convicção de que Allah, o melhor dos Protectores, seria suficiente para ele. E Allah ordenou que o fogo fosse frescura e paz sobre Abraão.

No seguinte versículo do Cur’ane, Ibrahim – Abraão, que a Paz de Allah esteja com ele, pediu a Allah para  lhe mostrar como é que Allah voltava a dar a vida a uma criatura morta! “E quando Ibrahim disse: “Meu Senhor! Mostra-me como ressuscitas os mortos”. Deus disse; “Tu (ainda) não crês?” Ele respondeu: “Sim, mas pergunto para tranquilizar o meu coração”. Allah disse: “Toma quatro pássaros, despedaça-os e coloca uma porção deles em cada montanha e em seguida, chama-os: eles virão para ti, rapidamente. E fica sabendo que Allah é Poderoso e Sábio.” Cur’ane 2:260. Depois de proceder como Allah ordenou, Abraão chamou os pássaros pelos respectivos nomes e imediatamente as partes separadas juntaram-se, formando os corpos originais e os pássaros começaram a voar para junto dele.

Abraão casou com Sara. Já velhos, continuavam a ansiar ter filhos para darem continuidade à profecia e à transmissão da palavra de Allah. Sara que era estéril, permitiu que Abraão casasse com a escrava Hajra, que lhe deu um filho, Ismael (que a Paz de Allah esteja com ele).

E Allah quis testar Abraão (que a Paz de Allah esteja com ele) e ordenou-lhe para deixar Ismael e a sua mãe numa terra distante e árida. A mãe apercebeu-se de que Ibrahim recebera ordens de Allah e não se opôs. Ela confiante disse que neste caso,  o Senhor nunca os abandonará. Abraão (que a Paz de Allah esteja com ele) retirou-se e mais longe, no pico da montanha, fez a seguinte prece, conforme é referido no Cur’ane: “Ó Senhor nosso! Eu fiz habitar parte da minha descendência num vale inculto, perto da Tua Casa Sagrada, Senhor Nosso, para que cumpram a oração; fazei, portanto, com que os corações de algumas pessoas se inclinem para eles, com fervor e sustenta-os com os frutos para que Te agradeçam.” 14, Vers.37

Depois de Abraão se ter retirado, mãe e filho ficaram a sós e consumiram os parcos mantimentos. O pequeno Ismael começou a chorar e a mãe desesperada, correu por sete vezes entre dois pequenos montes, Safa e Marwa, à procura de alguma caravana que os pudesse socorrer. Entretanto o seu pequeno filho, chorando e movimentando os seus pezinhos, com a ajuda de um anjo, removeu a terra, donde começou a brotar água. O Anjo tranquilizou-a e disse-lhe “esta é a Casa de Deus, que será construída por esse menino e pelo seu pai e nunca Deus negligenciou o Seu povo”. Mais tarde, no referido local, foram edificadas as fundações da Caaba por Ibrahim – Abraão e por Ismael. Ainda hoje, existe o poço donde provém a água de Zam-Zam e está situado dentro na Mesquita de Maka. Até aos nossos dias o poço continua com um caudal necessário para abastecer todos os peregrinos, visitantes e residentes e nunca se verificou qualquer falta de água. É um verdadeiro milagre naquela zona do deserto.

Mais tarde, Ibrahim (Aleihi Salam) foi visitar o filho Ismael. Allah Subhanahu Wa Taala, quis novamente testar Abraão, que através de um sonho, recebeu ordens para sacrificar o seu filho Ismael. E Allah refere no Cur’ane: “E saibam que as vossas riquezas e os vossos filhos são um teste.” Cur’ane 64, Vers.115.

Ibrahim – Abraão levou o seu filho para o sacrificar. Durante o percurso apareceu o diabo que lhe persuadiu para não cumprir com a ordem de Allah, lembrando-lhe que só depois de muito velho é que conseguiu ter um filho. Ibrahim atirou para o diabo 7 pedrinhas, que se afundou na terra. Esta tentativa do diabo,  para desviar a atenção do Profeta Abraão, aconteceu por três vezes e por três vezes ele o repeliu. Depois em Miná, a poucos quilómetros de Maka, quando se preparava para sacrificar o seu filho, Allah colocou à disposição dele, um carneiro que foi sacrificado.

Allah indicou a Ibrahim (Aleihi Salam) o local onde devia reconstruir a Casa Sagrada. E com a ajuda do seu filho Ismael, edificou as fundações da Caba, conforme é referido no Cur’ane: “E quando fizemos da Casa um lugar de assembleia e um asilo para os povos, (dissemos): “Tomai a estância de Abraão como um local de oração. “E ordenamos a Abraão e a Ismael (dizendo-lhes): “Purificai a Minha Casa para aqueles que andam à sua roda, para os que nela meditam e para os que se curvam e se prostram (aí em adoração).” Cur’ane 2:125. Enquanto os dois realizavam o trabalho, iam dizendo: Senhor Nosso, aceita (este serviço) de nós. Tu ês o Exorável, o Sapientíssimo”.  Cur’ane 2:127. E Allah honrou a Sua Casa, tornando-a segura.

Passados mais de 10 anos depois do nascimento de Ismael, distante do seu filho Ismael, Ibrahim acompanhada de Sara recebeu a visita de 3 estranhos. Ibrahim que gostava de receber pessoas, ofereceu-lhes alojamento e alimentação. Aborrecido, viu que os visitantes não tocaram na comida que tinha sido preparada especialmente para eles. Eles o tranquilizaram e informaram de que eram anjos que tinham sido enviados por Deus, para destruírem Sodoma, pelos pecados cometidos pelo seu povo. Mais tranquilizaram Abraão, informando-o que o Profeta Lot e as suas filhas, seriam poupadas. Os anjos deram uma boa nova a Abraão e disseram que sua esposa já idosa dará um filho. Sara e Ibrahim se alegraram com esta boa nova. O nascimento de Isaac constitui um milagre de Allah, pois os pais já tinham uma idade avançada, incapazes de procriarem naturalmente.

Ibrahim – Abraão tinha cerca de 86 anos quando Ismael nasceu e cerca de 100 anos quando Isaac nasceu. Por este motivo louvou e agradeceu a Allah, conforme é referido no Cur’ane: “Louvado seja Allah que na velhice me agraciou com Ismael e Isaac! Como o meu Senhor é Exorável!”.  Cur’ane 14:39.

Allah  honrou e iluminou Abraão e fez dele um Profeta. Através dos seus filhos Ismael e Isaac (Que a Paz de Allah esteja com eles), formaram-se três ramificações importantes no contexto religioso do mundo;  Judeus, Cristãos e Muçulmanos. Ibrahim (que a Paz de Deus esteja com ele) é o Patriarca dos Profetas e o tronco comum das 3 religiões. Do seu segundo filho Isaac, vieram os Profetas como, Jacob José, Moisés, David, Salomão e Jesus. Da linhagem de Ismael, primogénito de Abraão, veio o Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wa Salam). Foi uma promessa de Deus, em abençoar a descendência de Abraão. Este princípio é aceite pelos muçulmanos, porque um dos pilares da fé Islâmica, é acreditar em todos os Profetas que Allah enviou para a humanidade, conforme o versículo do Cur’ane. “Cremos em Allah, no que foi revelado a Abraão, a Ismael, a Isaac, a Jacob e no que foi dado a Moisés e a Jesus e no que foi dado aos Profetas pelo seu Senhor. Não fazemos distinção entre nenhum deles e somos submissos a Allah, a quem nós adoramos.” Cur’ane 2:136.

Segundo “Gênesis”, Allah Todo o Poderoso, prometeu transformar Isaac  e Ismael em grandes  nações e refere Sara e Hajra, respectivamente, como suas mães. Com Moisés, nasce a primeira religião monoteísta. Os Muçulmanos, também consideram-se Judeus, porque acreditam no Profeta Moisés, cujo nome directo,  é o dos mais referidos no  Cur’ane. Seguimos as antigas tradições referidas nos livros do Antigo Testamento, nomeadamente, no que se refere à circuncisão masculina e à proibição da carne de porco e do sangue na nossa alimentação. Somos também Cristãos porque acreditamos em Jesus, não como filho de Deus, mas como um dos 5 principais e escolhidos Profetas e Mensageiros de Allah. Acreditamos também na sua vinda futura. Depois de cerca de  600 anos da vinda de Jesus, Allah cumpriu com a promessa, enviando Muhammad, um Profeta e Mensageiro.

O Profeta Ibrahim – Abraão, que a Paz de Allah esteja com ele, tem um lugar de destaque no islão e está particularmente representado no quinto pilar do Islão – A Peregrinação a Maka, obrigatória para todos os muçulmanos com capacidade financeira. A peregrinação consiste em lembrar as principais tribulações sofridas pelo Profeta Abraão e sua família, nomeadamente quando Allah testou Abraão, quando deixou o seu filho Ismael e sua mãe num local deserto. Para salvar a criança da fome e da sede, a mãe percorreu os dois pequenos montes – Safa e Marwa, à procura de auxílio. Os peregrinos também percorrem entre os dois locais, lembrando esta preocupação duma mãe. Após os sete percursos entre os dois montes, os peregrinos bebem a água de zam-zam, agradecidos a Deus por ter salvo Ismael. Quando Abraão recebeu instruções para sacrificar o seu filho, quando se dirigia para cumprir as ordens de Deus, foi 3 vezes tentando pelo diabo e por 3 vezes o repeliu, atirando-lhe 7 pedrinhas. Nos locais onde o Profeta Ibrahim foi tentando, foram erguidos 3 pilares, onde os peregrinos vão atirar as pedrinhas, libertando-se assim do diabo que lhes atormentam as suas vidas e que os desviam do caminho da verdade. Voltam assim para casa com uma fé mais acrescida. Os muçulmanos que estão em peregrinação e os que estão em todo o mundo, sacrificam carneiros, camelos ou vacas, lembrando o sacrifício de Abraão. Os sacrifícios acontecem no final da Peregrinação a Maka, dia de festa para o bilião e seiscentos milhões de muçulmanos espalhados pelo mundo. Depois do final do mês de Ramadão, é a segunda festividade dos muçulmanos. A carne dos animais sacrificados em nome de Deus, é dividida em 3 partes iguais, uma para consumo próprio, outra para os vizinhos e familiares e outra para os pobres. Assim, todos têm o suficiente para passarem o dia de festa. Os que estão em Maka em peregrinação, doam toda a carne para as instituições de caridade, que depois de preparada e congelada, é enviada para outros países, para distribuição aos necessitados.

Todos os Profetas  trouxeram  sempre a mesma mensagem divina – Adoração ao Deus Único. Refere o Antigo Testamento, quando Deus fala a Moisés, segundo o versículo 18:18 do Deuteronômio: “Do meio de seus irmãos, lhes suscitarei um Profeta como tu, e porei as Minhas palavras na sua boca e ele lhes falará tudo o que Eu lhe ordenar”. – Deuteronômio 18:18.

Jesus nasceu só duma mãe e não teve uma morte natural. Nunca houve dois Profetas tão semelhantes como  Moisés e Muhammad (Que a Paz de Allah esteja com eles). Ambos receberam um extenso código de vida; ambos enfrentaram e venceram os seus inimigos; tiveram um nascimento natural; ambos migraram porque havia quem os pretendesse assassinar; tiveram uma vida normal, casaram e tiveram filhos e morreram de “morte natural”.

Às palavras “e porei as minhas palavras na sua boca e ele lhes falará tudo o que eu lhe ordenar”, Muhammad era um iletrado e recebeu a revelação do Cur’ane através do Anjo Gabriel, que ditava as palavras de Deus e solicitava que ele as repetisse e decorasse e depois as transmitiu ao seu povo, para que cumprissem com a orientação de Allah.

Os Judeus acreditam nos Profetas anteriores e em Moisés. Os Cristãos acreditam nos Profetas anteriores,  em Moisés e em Jesus. Os Muçulmanos acreditam nos Profetas anteriores, em Moisés, em Jesus e em Muhammad (que a Paz de Allah esteja com eles).

Somos muçulmanos porque acreditamos em todos os Profetas.

“Cremos em Deus, no que foi revelado a Abraão, a Ismael, a Isaac, a Jacob e no que foi dado a Moisés e a Jesus e no que foi dado aos Profetas pelo seu Senhor. Não fazemos distinção entre nenhum deles e somos submissos a Allah, a quem nós adoramos.” Cur’ane 2:136.

Meus Caros jovens universitários, não vim para esta conferência com a intenção de vos incentivar para o islão, porque “Não há compulsão na religião”. Cur’ane 2:256. Procuro sim esclarecer esta religião tão mal compreendida devido às notícias deturpadas pelos agentes de informação nacionais e estrangeiros. Apelo aos jovens para que procurem alcançar o melhor nos vossos estudos. Quando estiverdes bem nas vossas vidas, não se esqueçam dos vossos pais. A par do melhoramento das condições das vossas vidas, mantenham e fortaleçam a fé em Deus, porque como disse Issa – Jesus que a Paz de Deus esteja com ele, a procura (só) de bens terrenos “é como beber água do mar, quanto mais se beber, mais sede se sentirá”.  

Que Deus abençoe Ibrahim – Abraão e toda a sua descendência.

Abdul Rehman Mangá

14 de Maio de 2013.

 

 

 

015.04 – MARIAM (MARIA) MÃE DE ISSA (JESUS)

015.04 – Mariam (Maria) Mãe de Issa (Jesus):

Hannah (Ana), irmã da mulher do Profeta Zakariyah (Zakarias), e da descendência dos Profetas Moisés e Aarão, que a Paz de Allah esteja com eles, ansiava por um filho. Mas os anos foram passando, mas ela nunca perdia a esperança. Pedia sempre a Allah para que lhe desse um descendente, prometendo que o colocaria ao serviço de Deus.

Assim foi, Allah concedeu-lhe uma gravidez, e agradeceu  por esta misericórdia. Durante a gravidez, seu marido faleceu. Chorou amargamente porque o pai não ia ver a criança que muito desejavam. Entretanto Hannah deu a luz uma menina e nas suas orações disse a Allah: “Ó meu Senhor, eu dei a luz uma menina e dei-lhe o nome de  Mariam (Maria ) e ponho-a, bem como a sua descendência, sob Tua protecção, contra o Satanás, o amaldiçoado.” – Cur’ane 3:36.

Esperavam todos por um rapaz, pois a uma  criança fêmea não podia ser dedicada ao serviço do templo. Mas Hanna não ficou desapontada, e Zakariyah a consolou, pois Allah sabe o que faz. Depois de realizar um sorteio com os anciães do templo, para saber qual deles iria tomar conta da recém-nascida (3:44), calhou a responsabilidade a Zakariyah. Todos tiveram a percepção de que Allah a escolheu para um destino especial.

Para que ninguém tivesse acesso a ela, com excepção do seu tutor, foi construída uma sala separada para albergar a Mariam.  Zakariyah a visitava frequentemente e a encontrava abastecida de frutas frescas. Em resposta à admiração dele, ela respondeu de que os alimentos provinham de Allah e Ele providencia o alimento a quem deseja (3:37).

Zakariyah compreendeu que Allah a tinha elevado, de uma forma honrosa, acima de outras mulheres e dos restantes filhos de Israel. Assim, Mariam tornou-se uma devota de Allah, glorificando-O de dia e de noite. Segundo a narrativa de Abu Musa Al-Ashari (Radiyalahu an-hu),  Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam), disse: “Muitos homens tinham atingido a perfeição, mas de todas as mulheres, nenhuma excepto Mariam, a filha de Imran e a Asiya, a esposa do Faroó. Livro 57 – Hadice 113. – Nota: No contexto, refere-se aos Profetas/homens e Asiya por ter recolhido o Profeta Mussa (Moisés), ainda bebé.

Certa vez, quando Maria estava orando sozinha no seu compartimento apareceu Jibrail (Aleihi Salam) – Gabriel (Que a Paz de Allah esteja com ele), sob a forma de um homem perfeito.  Ela ficou assustada, com medo, pensado que ele ia cometer algo de mal. E rezou: “Eu procuro refúgio contra ti no Beneficente, se és temente a Allah.” – isto como forma de lhe lembrar de Allah, pois sabia se fosse  uma pessoa piedosa iria abster-se de praticar algo errado . Assim, o anjo Gabriel, retomou a forma de anjo e disse-lhe: Eu sou apenas um enviado do teu Senhor, para dar-te um filho, sem mácula”. Surpreendida,  Maria respondeu: “Como poderei ter um filho, se nenhum mortal me tocou e nunca deixei de ser casta?”. Ele disse: “Assim será. O teu Senhor disse: “É fácil para Mim”. E assim faremos dele uma revelação para a humanidade…” Cur’ane, Sura Mariam.

A visita do anjo causou nela muita ansiedade e com o passar dos meses, ela interrogava-se de como poderia dar a luz uma criança, sem ter um marido? Ela era de uma família nobre, seu pai foi uma pessoa respeitada. As pessoas irão denegrir a sua reputação. A notícia espalhou-se entre os filhos de Israel, acusando-a de ter cometido adultério, porventura com Yussuf (José), já que estava prometida a ele.

Mais tarde, ela sentiu a criança a mexer. Deixou o templo e retirou-se para Bayat Al-Lahm – Belém. Quando sentiu as dores de parto, encostou-se a uma palmeira e deu à luz um menino. Sentindo-se preocupada, exclamou: “Pudesse eu  morrer antes disto e desaparecer.” De repente ela ouviu uma voz, dizendo: Não te atormentes! O teu Senhor colocou um ribeiro a teus pés; sacode o tronco da palmeira e sobre ti farás cair tâmaras maduras. Portanto come, bebe e consola-te. E se encontrares com algum mortal, diz-lhes: “Eu fiz um voto de silêncio ao Beneficente….”. Consolada, regressou à cidade com a criança recém-nascida, Issa–Jesus (que a Paz de Allah esteja com ele). Sentiu novamente o receio das críticas do povo, mas não podia defender-se porque prometeu ao Misericordioso que não ia falar com nenhum ser humano. Despertou a curiosidade em todos, por ela estar de volta com uma criança e  repreenderam-na: “Ó Mariam, eis que fizeste algo de extraordinário. Ó irmã de Aarão, o teu pai jamais foi um homem do mal, nem tua mãe foi uma adúltera.” Ela colocou os dedos nos lábios dela e apontou para o filho. Admirados perguntaram: “Como é que podemos falar com um recém-nascido?”. Para espanto de todos, a criança começou a falar claramente: “Sou o servo de Allah, que me concedeu o Livro e me designou Profeta. Fez-me abençoado onde quer que eu esteja e encomendou-me a oração e a esmola, enquanto eu viver….” Factos revelados no Cur’ane Sura Mariam.

Ainda acerca deste incidente, Yussuf (José) ficou muito surpreendido e perguntou a Mariam se uma árvore poderia nascer sem uma semente. Sim, respondeu ela, a primeira árvore que Deus criou pela primeira vez. Perguntou outra vez se é possível uma mulher ter um filho sem um parceiro masculino. Sim, disse ela, Deus criou Adão sem qualquer interferência da mulher e do homem.

Este nascimento milagroso foi um sinal para a humanidade, do poder do Criador. Deus primeiro criou Adão, pai de toda a humanidade, sem mãe e sem pai. Ele criou Hawwa (Eva) através de um ser masculino, sem a interferência de um ser feminino. Criou Jesus duma mulher, sem interferência de um homem. Criou cada um de nós, através de um pai e duma mãe. Assim, completou 4 tipos de criação, o que prova o Seu Poder e a Sua autoridade.

Refere o Cu’ane: “Diz: “Cremos em Deus e no que nos foi revelado e no que foi revelado a Abraão, a Ismael, a Isaac, a Jacob e às (doze) tribos e no que foi dado a Moisés, a Jesus e aos Profetas pelo seu Senhor. Não fazemos distinção nenhuma entre eles e submetemo-nos à vontade d’Ele”. 3.84.

Fonte: Cur’ane e Ibn Khatir.

Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. Cur’ane 14:41. “Wa ma alaina il lal balá gul mubin”  “E não nos cabe mais do que transmitir claramente a mensagem”. Surat Yácin 3:17. “Wa Áhiro da wuahum anil hamdulillahi Rabil ãlamine”. E a conclusão das suas preces será: Louvado seja Allah, Senhor do Universo!”. 10.10.

Abdul Rehman Mangá

015.03 -ISSA (ALEIHI SALAM) – JESUS (QUE A PAZ DE ALLAH ESTEJA COM ELE).

015.03 – Issa (Aleihi Salam) – Jesus (Que a Paz de Deus esteja com ele).

O mês de Dezembro é a altura do ano em que o mundo cristão celebra o nascimento de  Issa (Aleihi Salam) – Jesus, que a Paz de Allah esteja com ele, Profeta e Mensageiro do Islam.

Allah, o Altíssimo, enviou para a terra, milhares de Profetas. São  5 os Profetas considerados ULUL-AZMI (Os que mais sofreram) por transmitirem a Unicidade Divina: Nuh (Noé), Ibrahim (Abraão), Mussá (Moisés), Issa (Jesus) e Muhammad (Que a Paz de Allah esteja com eles).

Refere o Cur’ane: “E quando Nós, fizemos um pacto com os Profetas e contigo (ó Muhammad), com Noé, Abraão, Moisés e Jesus, filho de Maria, estabelecemos com eles uma solene aliança”. (33:7).

Todos os Profetas são irmãos, portanto, todos iguais. Todos proclamam a mesma doutrina: “Não existe outro deus além de Deus”. As mães são diferentes, pois cada um foi enviado por Allah em épocas diferentes e a um povo em especial. 

Os 5 Profetas  pediram a Allah, nosso Senhor, para pertencerem ao Umah de Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam). Só Issa (Aleihi Salam) é que terá esse privilégio, conforme o hadice:

Abd’Allah Bin Amr referiu  que  Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam), disse: “Issa – Jesus, filho de Maria, descerá à terra, casará, terá filhos e permanecerá na terra durante quarenta e cinco anos, findos os quais morrerá e será enterrado junto da minha sepultura. Então Jesus, filho de Maria e eu, levantar-nos-emos de uma sepultura entre Abu Bakr e Umar” Isto foi transmitido por Ibn Al-Jauzi no Kitab Al-Wafa”. Na Mesquita de Madina, onde estão sepultados, Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam),  Abu Bakr e Umar (Radiyalahau an-hum), existe uma campa onde será enterrado Issa (Aleihi Salam).

O Cur’ane refere sobre Jesus e Maria (Que a Paz de Allah esteja com eles): “Ó Maria! Na verdade Allah escolheu-te e purificou-te. Escolheu-te acima das mulheres de todas as nações… Ó Maria! na verdade Allah dá-te boas novas de uma Palavra Sua: o seu nome será Messias, Jesus, filho de Maria, ilustre neste mundo e no outro e um dos mais próximos de Deus. Ele falará às pessoas no berço e na maturidade. E pertencerá ao  mundo dos justos”. Maria disse. “Ó meu Senhor! Como poderei ter um filho se nenhum homem me tocou?” Ele disse: Assim é: Allah cria  o que deseja e quando ele ordena uma coisa, apenas diz: “Sê”, e ela acontece” (3:42-53).

Alguns ditos de Jesus (Que a Paz de Deus esteja com ele), segundo a tradição Islâmica:

– “Bem-aventurado aquele que vê com o coração, mas cujo coração não está no que vê.” (Abdalla Ibn Qutayba)

– “A vida terrena são três dias: O ontem, sobre o qual não tendes controle; o amanhã, o qual não sabeis se chegareis; e o hoje, a que deveis dar bom uso.” Abu Hamid al-Ghazali.

– “Israelitas, Moisés proibiu-vos de cometerdes adultério e fez bem em proibi-lo. Eu proíbo-vos até de o imaginardes, pois o homem que imagina sem agir é como uma casa de barro na qual se acende uma fogueira; mesmo sem arder, fica negro de fumo.” Abu Nu’aym al-Isbahani e Mateus 5.27.

– “Homem de saber, aprende da sabedoria o que não conheces e ensina ao ignorante o que aprendeste.” Abu al-Hasan al-Mawardi.

– “Jesus estava com os seus discípulos perto duma sepultura quando um morto foi descido à terra. Eles comentaram a escuridão, solidão e pequenez do sepulcro. Jesus disse: “Já estivestes uma vez num lugar mais pequeno do que este, no ventre das vossas mães. Se Deus deseja aumentar (A Sua Misericórdia), fá-lo.” Ahmad, Ibn Hambal. No Kitab al Zuhd.

Para os muçulmanos, Issa (Aleihi Salam) não é filho de Deus, mas um grande Profeta e Mensageiro de Allah. A declaração de fé de um muçulmano, nega a existência de vários deuses e atesta a Unicidade Divina – As palavras LA ILAHA –  ILLA LLAH“, começam por “LA ILAHA”, uma negação, que significa:  NÃO HÁ OUTRA DIVINDADE“; e depois  ILLA LLAH  a confirmação SENÃO A (ÚNICA) DIVINDADE“.

LA ILAHA ILLA LLAH NÃO HÁ OUTRA DIVINDADE, SENÃO DEUS,  A (ÚNICA) DIVINDADE.

A religião Islâmica opõe-se ao culto de imagens, ao culto dos profetas e ao culto de  outras pessoas piedosas. Encontramos os seguintes esclarecimentos no sagrado Cur’ane:

“Blasfemam os que dizem: “Deus é o Messias, filho de Maria…” (5:17).

“Afirmam: “O Clemente teve um filho”! Sem dúvida que proferiram uma heresia. Por isso, pouco faltou para que os céus se fundissem, a terra  se fendesse e as montanhas, aluídas, se desmoronassem. Isso por terem atribuído um filho ao Clemente, quando é inadmissível que o Clemente  tenha um filho. Sabei que tudo quanto existe nos céus e na terra comparecerá como servo, diante do Clemente”. (19:88-93).

O conceito da trindade, é também rejeitado no Cur’ane,  ao afirmar: “Ó povos da Escritura! Não exagereis na vossa  religião e não digais de Allah senão a verdade. O Messias, Jesus, filho de Maria, foi apenas um Mensageiro de Allah, o Seu Verbo, com o qual agraciou Maria, por intermédio do Seu Espírito. Crede pois em Allah e não digais: “Três.”! Parai que é melhor para vós. Sabei que Allah é Único…)”. 4.171-173).

E o diálogo entre Allah e Issa (Aleihi Salam). Allah disse: “Ó Jesus filho de Maria! Disseste tu aos homens: “Tomai-me a mim e à minha mãe por duas divindades, além de Deus?” (Issa respondeu): “Glorificado sejas! Como poderia eu ter dito o que para mim não é verdade? Se o tivesse dito, Tu tê-lo-ias sabido. Tu sabes o que está na minha mente e eu não sei o que está na Tua mente….”Eu não lhes disse senão o que Tu me ordenaste dizer: “Adorai Allah meu Senhor e vosso Senhor…)”. Surat Máidah – 116/117).

Estas são as citações do Sagrado Cur’ane que confirmam que Issa (Aleihi Salam) foi um Profeta e Mensageiro de Allah. Ele faz parte dos 5 grandes Profetas que mais sofreram, por terem transmitido a palavra de Deus.

Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. Cur’ane 14:41. “Wa ma alaina il lal balá gul mubin”  “E não nos cabe mais do que transmitir claramente a mensagem”. Surat Yácin 3:17. “Wa Áhiro da wuahum anil hamdulillahi Rabil ãlamine”. E a conclusão das suas preces será: Louvado seja Allah, Senhor do Universo!”. Cur’ane 10.10.

Abdul Rehman Mangá

 

015.02 – A HISTÓRIA DE HABIL E QABIL (ABEL E CAIM)

015.02 – A História de Habil e Qabil (Abel e Caim)

Refere o Cur’ane: O Muhammad (Salalhu Aleihi Wassalam), recita para eles, com verdade, a história dos dois filhos de Adão (Que a Paz de Deus esteja com ele), quando eles apresentaram as suas oferendas: foi aceite a de um e recusada a do outro. E este último disse: por certo que te matarei. O primeiro disse: Deus somente aceita (oferendas) daqueles que O temem”Surat Maidah: 27.

Adam e Hawa – Adão e Eva (Que a Paz de Allah esteja com eles), tiveram o seu primeiro par de gémeos, Caim e a irmã. Depois nasceu o segundo par de gémeos, Abel e sua irmã. Depois de crescerem, Caim cultivava a terra e Abel criava gado.

Narrado por As-Sadiy, sob a autoridade de Abu Malik e Abu Salih depois Ibn Abbas (Radiyalahu an-hu), sob a autoridade de Ibn Massud e outros companheiros (Radyialahu an-hum), de que Adam (Aleihi Salam), utilizou o critério de casar um filho com a irmã do outro gémeo. Sendo assim, Abel casaria com a irmã do Caim. Seguindo a orientação de Deus, Adam instruiu os seus filhos para assim procederem. A irmã gémea de Caim era a mais bonita, que deveria casar com Abel. No entanto Caim a desejava para ele. Para apaziguar o diferendo o pai ordenou-lhes para oferecerem sacrifícios a Allah. Abel ofereceu uma cabra gorda e Caim um conjunto de plantas ruins. Veio um fogo do céu, que consumiu o sacrifício de Abel e deixou intacto as plantas oferecidas pelo irmão. Caim ficou lívido de raiva por Allah não ter aceite o seu sacrifício e disse ao irmão: “Vou matar-te e assim não vais casar com a minha irmã.” Respondeu Abel: “Allah somente aceita (oferendas) daqueles que o temem.”

É referido que Adam estava presente quando os sacrifícios dos filhos foram apresentados a Allah e Caim teria dito que o sacrifício do irmão fora aceite porque o pai invocou a Allah a favor dele. Assim, Caim começou a planear algo contra o irmão.

Uma vez, Abel estava atrasado e Adam mandou o Caim procurar por ele. Os dois irmãos encontraram-se e Caim lamentou-se perante o irmão, porque o seu  sacrifício não fora aceite por Deus. Abel respondeu que “Allah somente aceita (oferendas) daqueles que o temem”. Caim ficou furioso e bateu o seu irmão com algo pesado, que caiu morto. Antes de ser agredido, Abel disse ao seu irmão: “Se tu estenderes a tua mão para mim, para me matares, eu não estenderei a minha contra ti, para te matar, porque temo a Deus, o Senhor dos mundos”-Cur’ane: Maidah 5:28.  E ainda refere o Cur’ane: “Quero que carregues o meu pecado bem como o teu pecado. Então estarás entre os companheiros do fogo. E esta é a recompensa dos iníquos” 5:29

Nufai Ibn Hares Al Sacafi (Radiyalahu an-hu) referiu que o Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam ) disse: “Quando dois muçulmanos se confrontam com espadas (armas), o assassino e o assassinado serão castigados com o fogo do inferno”; perguntei-lhe: “Ó Mensageiro de Deus, entendo quanto ao caso de assassino, mas não entendo quanto ao caso do assassinado!” Respondeu: “Ora, porque tinha também a firme intenção de matar o seu companheiro!” (Bukhari e Muslim).

Abdullah Ibn Amr (Radiyalahu an-hu) referiu: “Por Deus, o assassinado (Abel), era muito mais forte do que o irmão (Caim), mas ele recusou-se a estender a sua mão contra o irmão para matá-lo, por ser piedoso e temente a Allah”.

Depois, Caim não sabia o que fazer com o cadáver do irmão. Ele carregou-o pelas costas, vagueando de um lugar para o outro, sem saber o que fazer  e tentando esconder o corpo. A sua ira já tinha abrandado, mas a sua consciência pesava pela culpa. Ele estava cansado com o peso do cadáver, que começava a exalar o cheiro característico.  Foi quando  Allah enviou dois  corvos que, após lutarem entre eles, um deles foi morto. Refere o Sagrado Cur’ane: “E então Deus enviou um corvo que se pôs a escavar a terra, para lhe mostrar como ocultar o cadáver do seu irmão. “Ai de mim”, disse Caim, “não poderei eu ser como este corvo e ocultar o cadáver do meu irmão?”. E ficou a contar-se, depois, entre os arrependidos”. Cur’ane, 5:31

Alguns historiadores referem que Adam (Aleihi Salam) ficou muito doente e sentiu muita tristeza pela morte do filho. Imediatamente após a morte do irmão, Allah infligiu a Caim, ainda neste mundo, uma severa punição. O Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) referiu de que não há nenhum pecado mais rapidamente punido nesta vida terrena (juntamente do que vai sofrer na vida do além), do que a transgressão e o corte das relações familiares.

É referido que Hawa, a nossa mãe Eva,  deu à luz 40 crianças, através de 20 partos. Outros referem 120 partos. Em cada um deles nasceu um rapaz e uma rapariga. Depois a humanidade aumentou e se espalhou pela terra. No entanto, Deus sabe melhor! “Ó humanidade! Temei o vosso Senhor, que vos criou de um só ser, do qual criou a sua companheira e de ambos, fez descender inumeráveis homens e mulheres. Temei a Deus, em nome d’O qual fazeis pedidos uns aos outros, e respeitai os ventres (que vos geraram). Na verdade, Deus observa-vos. Cur’ane: 4:1.

Refere a Bíblia: Adão conheceu Eva, sua mulher. Ela concebeu e deu à luz Caim, e disse: «Gerei um homem com o auxílio do Senhor.» 2Depois, deu também à luz Abel, irmão de Caim. Abel foi pastor, e Caim, lavrador. 3Ao fim de algum tempo, Caim apresentou ao Senhor uma oferta de frutos da terra. 4Por seu lado, Abel ofereceu primogénitos do seu rebanho e as suas gorduras. O Senhor olhou com agrado para Abel e para a sua oferta, 5mas não olhou com agrado para Caim nem para a sua oferta. Caim ficou muito irritado e andava de rosto abatido. 6O Senhor disse a Caim: «Porque estás zangado e de rosto abatido? 7Se procederes bem, certamente voltarás a erguer o rosto; se procederes mal, o pecado deitar-se-á à tua porta e andará a espreitar-te. Cuidado, pois ele tem muita inclinação para ti, mas deves dominá-lo.» 8Entretanto, Caim disse a Abel, seu irmão: «Vamos ao campo.» Porém, logo que chegaram ao campo, Caim lançou-se sobre o irmão e matou-o. 9O SENHOR disse a Caim: «Onde está o teu irmão Abel?» Caim respondeu: «Não sei dele. Sou, porventura, guarda do meu irmão?» 10O Senhor replicou: «Que fizeste? A voz do sangue do teu irmão clama da terra até Mim. 11De futuro, serás amaldiçoado pela terra, que, por causa de ti, a terra abriu a boca para beber o sangue do teu irmão. 12Quando a cultivares, não voltará a dar-te os seus frutos. Serás vagabundo e fugitivo sobre a terra.». Gênesis – Livro 4.

“Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. Cur’ane 14:41. Wa ma alaina il lal balá gul mubin” “E não nos cabe mais do que transmitir claramente a mensagem”. Surat Yácin 36:17. “Wa Áhiro da wuahum anil hamdulillahi Rabil ãlamine”. E a conclusão das suas preces será: Louvado seja Allah, Senhor do Universo!”. 10.10. “Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. 14:41

Abdul Rehman Mangá

015.01 – A ORIGEM DA CAABA E IBRAHIM (ALEIHI SALAM) – PROFETA ABRAÃO, OS SEUS DESCENDENTES (QUE A PAZ DE ALLAH ESTEJA COM ELES).

015.01 – A ORIGEM DA CAABA E IBRAHIM (ALEIHI SALAM) – PROFETA ABRAÃO, OS SEUS DESCENDENTES (QUE A PAZ DE ALLAH ESTEJA COM ELES).

Ibrahim (Aleihi Salam) – Abraão (que a Paz de Allah esteja com ele), não foi Judeu nem Cristão. Obediente a Deus, foi um monoteísta sincero, submisso a Allah – o Deus Único – e não era um idólatra. No entanto, nasceu e viveu com idólatras, que adoravam astros e acreditavam que os respectivos movimentos tinham influência nas suas vidas. O seu pai era um dos escultores de ídolos. Ibrahim (Aleihi Salam), cedo se apercebeu-se que os ídolos e os astros adorados pelo povo, não ouviam não falavam e em nada os beneficiava. O convite que fez ao seu pai e ao resto da população, para deixarem de adorar ídolos, não surtiu qualquer efeito, pois pretendiam a todo o custo manter as suas tradições. Ibrahim (Aleihi Salam) acabou por ser o protagonista da destruição dos ídolos. A ousadia chegou aos ouvidos do rei nimrod, que o condenou à morte e lançado numa fogueira. Ibrahim (Aleihi Salam) tinha a firme convicção de que Deus seria suficiente para ele. E Deus ordenou para que o fogo fosse frescura e paz sobre Ibrahim. Deus  honrou-o, iluminou-o e fez dele um Profeta. Através dos seus filhos Ismael e Isaac (Aleihi Salam), formaram-se três ramificações importantes no contexto religioso do mundo;  Judeus, Cristãos e Muçulmanos. Ibrahim (Aleihi Salam) é o Patriarca dos Profetas e o tronco comum das 3 religiões.

“E lembrai-vos quando Abraão foi posto à prova pelo Seu Senhor com certos mandamentos, que ele cumpriu e então Allah disse-lhe: “Designar-te-ei Imame (chefe) dos povos.” E Ibrahim – Abraão apelou: “E (concedei essa graça) também aos meus descendentes.” O Senhor respondeu: “A minha promessa não alcançará os iníquos”. Cur’ane 2:124. Allah Subhanahu Wataala testou-o com taharat – pureza; cinco referentes ao corpo e cinco à cabeça, nomeadamente, cortar o bigode, enxaguar a boca, utilização do Missak, aparar as unhas, raspar os pêlos púbicos, a circuncisão e a lavagem depois de efectuar as necessidades naturais. Uma referência semelhante é feita pelo Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam), que disse: “De entre as coisas relacionadas com o fitra (instinto natural) humano, constam: bochechar com água, usar agua para limpar as narinas, aparar o bigode, limpar os dentes, cortar as unhas, remover os pêlos axilares e púbicos e a circuncisão”. Ahmade.

Continue a ler 015.01 – A ORIGEM DA CAABA E IBRAHIM (ALEIHI SALAM) – PROFETA ABRAÃO, OS SEUS DESCENDENTES (QUE A PAZ DE ALLAH ESTEJA COM ELES).

013.02 – NAHNÚ – “NÓS” E A UNICIDADE DIVINA.

013.02 – NAHNÚ – “NÓS” E A UNICIDADE DIVINA. 

A Declaração de fé de um muçulmano baseia-se na firme convicção de que não há mais divindades, excepto Allah – Deus. A Sha’ada – declaração de fé, começa por uma negação LÁ ILAHA – Não há outra divindade, e termina com uma confirmação ILLA ALLAH – Senão a (única) Divindade.LÁ ILAHA ILLA ALLAH – Não há outra divindade senão a (única) Divindade (Allah – Deus). “Vosso Deus é Um só. Não há mais divindade além d’Ele, o Clemente, o Misericordiosíssimo”. Cur’ane 2:163.

Nos tempos em que vigoravam as monarquias, quando o rei emitia comunicados ou leis, utilizava com frequência a expressão “nós decidimos, nós decretamos”. A linguagem utilizada denotava um poder absoluto e foi muito vulgar, por exemplo, na realeza Inglesa. Nos tempos actuais, esse tipo de expressão caiu em desuso e os reis na Europa deixaram de ter qualquer poder legislativo. A língua Árabe é muito eloquente. Quem sabe recitar o Cur’ane, mas não sabe falar ou compreender o árabe, fica fascinado com o desenrolar da leitura e algo lhe diz que está na presença duma linguagem divina. Quando o Cur’ane foi revelado, havia em Maka uns idólatras que competiam na poesia, falando entre si duma forma eloquente. Allah revelou o Cur’ane com uma linguagem ainda mais eloquente, o que levou muitos a converterem-se. Outros que não queriam deixar as suas tradições e os seus ídolos, referiram que não era possível ser obra de um ser humano e acusaram Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) de ter utilizado a magia para produzir os versículos. Em resposta Allah Subhanahu Wataala lhes responde: “Se estiverdes com dúvida daquilo que Nós revelamos ao Nosso servo, então produzi uma sura semelhante…” Cur’ane 2:23.  

Continue a ler 013.02 – NAHNÚ – “NÓS” E A UNICIDADE DIVINA.

013 – A UNICIDADE DIVINA

013.01 – A Unicidade de Allah e o Profeta Issa (Aleihi Salam) (Jesus, que a Paz de Deus esteja com ele)

 Amo todos os Profetas e Mensageiros, enviados por Allah, como misericórdia para toda a humanidade. A vida dos Mensageiros que me ajudaram a aumentar a minha crença na Unicidade Divina – na fé em Allah, o Único e Eterno, são: Muhammad, o Selo da Profecia, Ibrahim (Abraão), o tronco comum das três religiões monoteístas e Issa (Jesus), filho de Mariam, que a Paz de Allah esteja com eles. Allah é a única Divindade para toda a humanidade, mesmo para aqueles que dizem não acreditar a na existência de um Ser Superior e Criador de tudo o que existe nos mundos e nos céus.

Encontramos no Sagrado Cur’ane muitos versículos esclarecedores da Unicidade Divina, como por exemplo o diálogo referido a seguir, entre Allah (o Único) e Issa, (Profeta e Mensageiro):

“E quando Allah disse: Ó Jesus, filho de Maria! Disseste tu aos homens. “Tomai-me a mim e a minha mãe por duas divindades, além de Allah”? Ele disse “Glorificado sejas! Como poderia eu ter dito o que para mim não é verdade? Se o tivesse dito, Tu tê-lo-ias sabido. Tu sabes o que está na minha mente. Na verdade, Tu é que tens conhecimento de tudo o que está oculto.”

Continue a ler 013 – A UNICIDADE DIVINA

014.03 – A MISERICÓRDIA DE ALLAH.

Wua LLahu LLazí lá ilaha ilah wua. Ãlimul ghaibi wua chahadati, wua  Rahmanu Rahim. “Ele é Deus; Não há mais divindades além D’Ele, conhecedor do invisível e do visível. Ele é o Beneficente, o Misericordioso. Cur’ane 59:22

Abu Huraira (Que Allah fique satisfeito com ele), referiu que Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “Allah Subhanahu Wa Taala dividiu a misericórdia em cem partes, reteve noventa e nove partes, fazendo apenas descer uma à terra. Dessa (uma) parte, emana toda a compaixão com que a criação inteira divide entre si. É tamanha essa compaixão, que faz com que o animal levante bem as garras, para não causar dano à sua cria”. Bukhari e Muslim. Allah, o Protector e Sustentador, providencia tudo que o homem necessita para viver, prosperar e evoluir. Allah criou os céus e a terra. Envia a água do céu, com a qual produz diversos tipos de alimentos, para o nosso sustento. Submeteu para nós os navios, que com a sua anuência, singram nos mares. Submeteu para nós os rios. Ele submeteu para nós o sol e a lua, que seguem os seus cursos e submeteu para nós o dia e a noite. Ele nos agraciou com tudo o que pedimos. Se contarmos as graças de Deus, não conseguiremos enumera-las. Com Compaixão, Allah acompanha sempre o ser humano, nunca o abandona. “Pela gloriosa luz da manhã e pela noite quando serena, O teu Senhor não te abandonou, nem te odiou” Cur’ane 93:1,2,3. No entanto, o homem é iníquo e  ingrato por excelência. Surat Ibrahim: 14:34. Allah submeteu toda esta misericórdia para a humanidade, mas seguindo as Suas leis. O navio singra o mar de acordo com as leis físicas da natureza. A noite sucede o dia, para o benefício do homem. Tudo o que Allah criou, está submetido às leis fixadas pelo Misericordioso, sem as quais, não seria possível a existência da vida. Tudo o que nos rodeia e que o nosso Criador nos agraciou, é uma lição para todos nós. “E na terra, há sinais para os que estão convencidos”. 51:20.  Então, porque somos ingratos para com as Suas benesses? “… poucos dos Meus servos são agradecidos”. 34.13.

Continue a ler