008.07 – As mulheres serão a maioria no inferno?

008.07 – As mulheres serão a maioria no inferno?

Referiu o Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam): “O melhor de entre vós, é aquele que trata melhor a sua mulher”. At-Tirmidi.

Primeira reflexão: Quem nasceu nos anos anteriores a década de sessenta, lembrar-se-á de que a maior parte das nossas mães eram analfabetas, mas verdadeiras donas de casa. Os poucos empregos que existiam, eram absorvidos pelos homens, responsáveis pelo sustento das famílias. Recuemos uns séculos atrás, para compreendermos a situação em que as mulheres se encontravam, não só nos nossos países de origem como em toda a parte do mundo, incluindo nos agora considerados desenvolvidos. Em Portugal, a situação das mulheres não fugia à regra, onde os mais velhos se lembrarão de que se dizia que “a mulher não tinha alma”! No ano passado (2012), as Autoridades Portuguesas receberam cerca de 30.000 queixas relacionadas com a violência doméstica e anualmente mais de 30 mulheres morrem nas mãos dos companheiros agressores. As notícias são tão banais que já não chamam a atenção. Todas as notícias que envolvam muçulmanos, mesmo nos confins do mundo, são motivo de considerações injustas contra o islão. A situação é idêntica noutros países, apesar do desenvolvimento verificado nas últimas décadas. Infelizmente ainda há países que continuam na situação de atraso e de pobreza, onde a escolarização ainda não é um direito para todos.

Segunda reflexão: A religião islâmica é a que mais cresce em todo o mundo. Não é uma religião nova. Ser muçulmano, é submeter-se ao Deus Único. Foram assim todos os nossos Profetas, nomeadamente, Adam (Adão), Ibrahim (Abraão), Mussa (Moisés), Daúde (David), Sulemain (Salomão), Yayhá (João Baptista), Issa (Jesus) e Muhammad (Que a Paz de Deus esteja com eles). Deus, o único conhecedor do futuro, refere acerca do crescimento do islão: “Quando te chegar o socorro de Deus e o triunfo. E vires entrar gente, em massa, na religião de Deus. Celebra, então, os louvores do teu Senhor, e implora o Seu perdão, porque Ele é Remissório”. Cur’ane 110: 1 a 3. Outra das várias evidências da profecia do crescimento do islão: “Na noite de Miraj, Mussa Aleihi Salam, chorou quando se encontrou com Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam). Ao ser-lhe perguntado porque estava chorando, disse: “Ó meu Deus, Tu enviaste este jovem Mensageiro depois de mim, cujos seguidores serão mais a entrarem no paraíso do que os meus”. Bukhari e Muslim.

A propósito da primeira reflexão, já por várias vezes algumas irmãs me escreveram, lamentando o facto de se sentirem descriminadas, por serem colocadas em posição inferior ao do homem. Não aceitam ficar em casa a “remendar” as roupas” e a cozinharem para os maridos e para os filhos, porque acham que têm também capacidade para fazerem muito mais para o melhoramento das condições da família, para o desenvolvimento da comunidade e do país onde residem.

Quanto à segunda reflexão, assistimos diariamente a vários ataques vindos de todos os quadrantes, falando mal dos muçulmanos e denegrindo o islão. Sentem uma inveja imensa ao verem o islão a crescer não só pelos nascimentos, mas também pelas conversões que se vão verificando em toda a parte do mundo. Os ataques agarram-se ao conceito errado de que “o islão descrimina as mulheres”, para propagandear todo o tipo de maldades contra os muçulmanos.

Aos insultos, o muçulmano não se pode defender com insultos, porque isso contrariaria os ensinamentos que o nosso Profeta nos deixou. Por analogia, podemos seguir o hadice: “Um dos pecados mais graves, é quando um homem insulta os seus próprios pais. Alguém perguntou: “ Acaso iria alguém insultar os seus próprios pais?” Respondeu: “ Sim, é quando um homem maldiz ao pai de alguém e este replica com o mesmo; é quando um homem maldiz a mãe de alguém e este replica com o mesmo.”

O tema desta semana vem a propósito de um documento que chegou às mãos de um irmão Brasileiro, convertido ao islão, antigo teólogo da Igreja Católica. O documento é um ataque feroz, com traduções e interpretações incorrectas dos versículos do Cur’ane e dos hadices, intitulado “Os 10 principais preceitos do Alcorão que oprimem e insultam as mulheres”. Quem não conhece a essência do islão, poderá ser induzido em erro, ainda mais porque está habituado a ler e a ouvir toda a informação deturpada difundida pelas rádios e televisões. Verdade seja dita, alguma culpa nossa, pela actuação violenta de alguns, pela posição errada de alguns teólogos e pela ignorância de muitos de nós que não sabemos sequer os princípios básicos da nossa religião. Se os nossos colegas da escola ou do serviço nos interpelarem acerca dos principais temas do islão, não saberemos responder. “Buscai o conhecimento, nem que tenhais de se deslocar à china!”. É uma exortação do Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam), não só para os homens, mas também para as mulheres.

Num dos 10 argumentos o articulista refere que o islão trata tão mal as mulheres que até as destina ao inferno, citando o seguinte: “O Profeta disse, “olhei para o Paraíso e encontrei pessoas pobres compondo a maioria dos habitantes do paraíso; e eu olhei para o Inferno e vi que a maioria dos habitantes eram mulheres.”

O hadice completo que nos interessa reter e compreender, é o seguinte: O Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “Eu estava no Portão do Paraíso e vi que a maioria das pessoas que entraram, foram os pobres, enquanto os ricos eram retidos nas portas para prestação de contas, mas os companheiros do fogo, foram ordenados para serem levados para o fogo. Eu estava no portão do fogo e eu vi que a maioria (generalidade) das pessoas que entraram eram mulheres”. Bukhari 62:124.

Deus incentiva os Seus servos, homens e mulheres, para praticarem boas acções, para que na vida eterna possam residir no paraíso: “Em troca, os tementes serão conduzidos, em grupos, até ao Paraíso e lá chegando, abrir-se-ão as suas portas e os seus guardiães lhes dirão: “Que a Paz esteja convosco! Qão excelente é o que fizeste! Entrai pois! Aqui permanecereis eternamente”. Cur’ane 39:73.

Agora vamos tentar compreender porque é que o Profeta disse aquelas palavras? Anas bin Malik (Radiyalahu an-hu) relatou que o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) referiu (acerca do sinal da hora – dos tempos que advirão antes do final do mundo), que o conhecimento irá decrescer, a ignorância irá prevalecer sobre o mundo, o adultério será uma constante, as mulheres irão aumentar e os homens vão diminuir tanto que um homem irá cuidar de 50 mulheres Bukhari 3:81. Outro hadice refere: “um homem será seguido por 40 mulheres que procurarão nele refúgio (protecção), devido a escassez de machos e abundância de fêmeas. Bukhari 24:495.

Já nos momentos actuais, constata-se de que o número de mulheres existentes no mundo é superior em relação aos homens. Seria possível Deus ser injusto com as mulheres, condenando-as a serem a maioria no inferno? Se termos em conta que até ao final do mundo a disparidade entre as mulheres e os homens vai aumentar, atingindo a quantidade de mulheres uma proporção enorme, é natural chegar-se à conclusão por esse facto, de que no inferno as mulheres poderão vir a ser em maior número do que os homens. Mas também haverá outro momento em que as mulheres serão a maioria no paraíso.

O Anjo Jibrail (Aleihi Salam), informou ao Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) de que há vários graus no inferno e que o último grau é destinado ao Umah do Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) que cometeram pecados graves e que vão morrer sem pedirem perdão. Com esta notícia, o Profeta ficou tão angustiado que foi para casa muito triste, ficando fechado no seu quarto durante dias, a orar e a chorar pelo seu povo presente e do futuro (in origem da noite de Miraj).

Homens e mulheres que cometerem pecados, entrarão no inferno, para serem purificados. Como as mulheres serão a maioria que os homens, haverá no início mais mulheres do que homens a serem purificados no inferno. Mas depois de saírem e quando forem admitidos ao paraíso, as mulheres no paraíso passarão a ser em maior número do que os homens. Assim as mulheres superarão os homens tanto no inferno como no paraíso, mas em épocas diferentes.

Todos os hadices que não estejam de acordo com os versículos do Cur’ane, não podem ser considerados como válidos. Há muitos ditos atribuídos ao Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam), considerados fracos ou falsos. Para se interpretarem correctamente alguns hadices, é necessário conjugar-se dois ou mais ditos do Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam), para se compreender a mensagem que ele pretendeu transmitir.

Abdullah Ibn Massud (Radiyalahu an-hu), foi um eminente Sahaba (companheiro) do Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam). Devido aos seus conhecimentos religiosos e ao seu carácter, foi-lhe atribuída a incumbência de dar fatwa (veredicto), ainda no tempo do Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam). Tinha muito cuidado em relatar os ditos (hadices). Sempre que pretendia fazê-lo, tremia de medo.

Ele e os restantes Sahabas (Radiyalahu an-huma), tinham muito cuidado ao transmitirem algum dito (hadice), pois lembravam-se constantemente das palavras de Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam), quando referiu: “Aquele que atribuir algo a mim e que na realidade eu não tenha dito aquilo, ele que ocupe o seu lugar no inferno”.

Aisha (Radiyalahu an-ha) referiu que certa noite, o seu pai Abu Bakr (Radiyalahu an-hu), não conseguia dormir, pois virava-se para um lado, ou virava-se para o outro. Na manhã seguinte pediu para lhe trazerem os hadices que tinha compilado e que os entregara a Aisha para guardar. Assim que a compilação lhe foi entregue, queimou-a por completo. Depois explicou os motivos: “Esta colecção continha muitas narrativas sobre o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam), as quais eu tinha ouvido de outras pessoas. Depois da minha morte, se algum dos hadices não fosse verdadeiro, então eu responderia perante Deus.”

A melhor descrição acerca do relacionamento entre marido e mulher, é referida no Cur’ane: “Elas são as vossas vestimentas e vós sois as vestimentas delas”. 2:187. É a protecção, o apoio e o conforto mútuo. O Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “O melhor de entre vós, é aquele que trata melhor a sua mulher”. At-Tirmidi.

Aos que nos lançam ofensas, criticando o islão, a pergunta óbvia que devemos fazer é a seguinte: “Se o islão é assim tão mau, qual o motivo de ela ser procurada e abraçada por milhares e milhares de crentes de outros credos e até mesmos de ateístas?” Alguns que se reverteram ao islão, referiram que não encontraram respostas dos seus anseios através das suas anteriores crenças. Estudaram várias religiões, em especial as que compõem o tronco comum do Profeta Abraão (que a Paz de Deus esteja com ele). E referiram que todos os caminhos, confluíam para o islão. Lá ilaha  ilalah – “Não há outra divindade senão Deus”.

 “Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. Cur’ane 14:41. “Wa ma alaina il lal balá gul mubin”  “E não nos cabe mais do que transmitir claramente a mensagem”. Surat Yácin 3:17. “Wa Áhiro da wuahum anil hamdulillahi Rabil ãlamine”. E a conclusão das suas preces será: Louvado seja Deus, Senhor do Universo!”. 10.10.

Abdul Rehman Mangá

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s