Visita ao Masjid Al-Aqsa (Jerusalém):

005.10 – Visita ao Masjid Al-Aqsa (Jerusalém):

As visitas às cidades de Maka e Madina não fazem parte dos rituais de Haj. No entanto é aconselhável permanecer mais uns dias na peregrinação, para visitar os lugares históricos, em especial a cidade de Madina, onde se encontra sepultado o Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi wassalam).

E por maioria de razões, também a visita à Mesquita Al – Aqsa também não faz parte dos rituais de Haj. Este texto está inserido neste capítulo, simplesmente por uma questão de ligação aos enormes benefícios que nos foram esclarecidos no que se refere as visitas às Mesquitas de Maka, Madina e Al – Aqsa.

A Mesquita A-Aqsa, localizada em Jerusalém, é um lugar sagrado para os muçulmanos, nomeadamente pelos seguintes motivos: – Foi para este local que o Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) foi transportado da Mesquita de Maka para a Mesquita de Al Aqsa, como ponto de passagem para a viagem nocturna (Israa e Mi’raj); – No local, o Profeta liderou uma oração na presença de todos os Profetas (Que a Paz de Deus esteja com eles); – Era para Jerusalém que os muçulmanos se direccionavam para fazer as orações (primeira quibla), até que Deus determinou para se orientarem para Maka.

Quarenta anos depois de construir a Caaba, em Maka, o Profeta Ibrahim (Aleihi Salam) – Abraão (Que a Paz de Deus esteja com ele), no tempo do seu filho Issac e do seu neto Jacob (Que a Paz de Deus esteja com eles), estabeleceu também em Jerusalém, um lugar de adoração. Abu Dharr, Radyialahu an-hu (que Deus esteja satisfeito com ele), referiu que perguntou ao Profeta Muhammad  (Salalahu Aleihi Wassalam): “Qual foi a primeira Mesquita que foi erguida no mundo? O Profeta respondeu: Masjid al-Haram (a Sagrada Casa de Maka). Novamente questionou: E qual foi a seguinte? Respondeu: Foi a Mesquita Aqsa (Jerusalém). De novo perguntou: Quanto tempo mediou entre a construção duma e doutra? Ele (o Profeta) disse: Foi de 40 anos. E acrescentou,  quando chegar a hora de fazeres a oração, ore lá, porque é um Masjid (local para adoração)”. Muslim – Livro 4 , nº. 1056. Também referido no Bukhari.

O Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) iniciou a viagem nocturna em Maka, com uma paragem em Jerusalém, na Mesquita Al-Aqsa, conforme é referido no Cur’ane: “Glorificado seja Aquele que transportou, durante a noite, o Seu servo, da Mesquita sagrada (em Makka), à distante Mesquita de Al-Aqsa (em Jerusalém), cujos arredores abençoamos, para mostrar-lhe alguns dos nossos sinais. Deus ouve tudo e vê tudo”. Cur’ane 17, Vers.1. Com o animal que os anjos trouxeram o – Buraq,  mais veloz que o relâmpago, o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) foi transportado para Jerusalém. Na Mesquita sagrada de Al.Aqsa, liderou uma oração em que se encontravam presentes todos os Profetas. A seguir, foi transportado para o céu, onde visitou todos os Profetas e recebeu um presente do nosso Criador, as 5 orações diárias.

Para os muçulmanos, existem 3 lugares sagrados que devem ser visitados. Abu Huraira (Radyialahu an-hu), referiu que o Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “Não viajai (com o objectivo da visita espiritual), senão para três Massjides (Mesquitas): Al-Massjidil-Háram (em Makka), Al-Massjidil Aqsá (Jerusalém) e para este meu Massjid (em Madina)”. Relato de Al Bhukari e Musslim.

E referiu o Profeta: “A recompensa da oração obrigatória feita em casa é de uma vez; Na Mesquita é de 25 vezes; Na Mesquita durante a oração de sexta-feira, é de 500 vezes; Na Mesquita Al-Aqsá (Jerusalém) é de 5.000 vezes; na Mesquita do Profeta em Madina (Massjid Nabawi) é de 50.000 vezes; e na Mesquita em Maka (Massgidul Háram) é de 100.000 vezes.” (Relato de Anáss Ibn Málik – Ibn Mája/Michkát).

Nos tempos do Profeta, a Mesquita Al-Aqsa era também conhecida pelos Árabes por “a mais distante Mesquita”, por se encontrar longe  e muitas vezes fora do alcance da maioria deles. Apesar desta localização distante, o Profeta lembrou aos seus companheiros de que a Mesquita é sagrada e foi abençoada por Deus. Referiu ele que “Se alguém usar o Ehram para o Haj ou o Umra, desde a Mesquita de Aqsa, para a sagrada Mesquita (de Maka), seus anteriores e recentes pecados serão perdoados e ser-lhe-á garantido o paraíso”. – Suna Abudawud – Livro 10 – nº.1737. Abu Huraira é citado de que perguntou ao Profeta sobre a pessoa que não tem oportunidade de visitar a Mesquita (por se encontrar longe). Respondeu o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam), de que deveria fazer uma doação de óleo para ser queimado na Mesquita, pois quem dá um presente à Mesquita de Aqsa, será como quem orou nela. – Ahmad e Ibn Majah.

O Profeta Ibrahim (Aleihi Salam) – Abraão (Que a Paz de Deus esteja com ele) é patriarca dos Povos do Livro (Judeus, Cristãos e Muçulmanos). Em Jerusalém existem lugares sagrados para as três religiões. Jerusalém deverá ser um lugar de paz, de tranquilidade, de compaixão e de harmonia, não só entre os seus residentes, mas também para toda a humanidade. Os referidos lugares sagrados, devem ser respeitados e preservados. Quando o Califa Umar Ibn Al-Khatab (Radiyalahu an-hu), companheiro do Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) foi visitar Jerusalém, para firmar um acordo com os seus residentes, aproveitou para visitar a igreja de S. Sepulcro. Quando chegou a hora da oração muçulmana, ele e os seus companheiros, retiraram-se da Igreja e foram orar fora. Quando lhe foi perguntado a respeito disso, respondeu: “Temi que se tivesse orado dentro da igreja,  poderiam os muçulmanos em tempo futuro reivindica-la para as suas próprias orações sob o pretexto de que Umar orou dentro dela e que pudesse ser transformada numa Mesquita.

Wa ma alaina il lal balá gul mubin” “E não nos cabe mais do que transmitir claramente a mensagem”. Surat Yácin 3:17.

“Wa Áhiro da wuahum anil hamdulillahi Rabil ãlamine”. E a conclusão das suas preces será: Louvado seja Deus, Senhor do Universo!”. 10.10.

“Rabaná af rig ãleiná sab ran wa tawafaná muslimun”. “Senhor Nosso, concede-nos a paciência e faze com que morramos submissos a Ti!”. Cur’ane 7:126

 “Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. 14:41.

Abdul Rehman Mangá

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s