JEJUM – UM ALIMENTO PARA A ALMA – PEQUENAS MENSAGENS DE 2014

JEJUM . UM ALIMENTO PARA A ALMA

PEQUENAS MENSAGENS DE 2014

Assalamo Aleikum Warahmatulah Wabarakatuhu (Com a  Paz, a Misericórdia e as Bênçãos  de  Deus)

Bismilahir Rahmani Rahim (Em nome de Deus, o Beneficente e Misericordioso)

Todos os louvores para Allah, o Único, o Criador de tudo o que existe. Que a Paz de Deus esteja com todos os Profetas, que se sacrificaram para nos deixarem a mensagem de Deus, o Misericordioso e Perdoador. As Bênçãos e a Paz de Deus estejam, com o Profeta Muhammad, sua família e seus companheiros. A Paz e Misericórdia de Deus estejam com todos os crentes. 

Um corpo forte e saudável é importante para cumprirmos com todos os actos físicos de adoração. No mês de Ramadan e durante um certo período do dia, deixaremos de comer e de beber. É natural se sentirmos alguma fraqueza. Nada melhor do que uma alma forte, para nos ajudar a comandar o corpo faminto e exausto. A alma também necessita de ser alimentada intensificando as nossas orações, acrescentando às obrigatórias as orações facultativas e em especial as nocturnas (tarawi e tahajjud). As preces e a recordação constante de Deus, ajudar-nos-ão a aumentar a nossa fé. “Não falem muito sem mencionarem o nome de Deus, porque ireis endurecer os vossos corações. (Issa Aleihi Salam). Será assim o jejum, um verdadeiro alimento para a nossa alma.

Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “ A pessoa que jejuar durante o mês de Ramadan, com fé e esperança de alcançar o beneplácito de Deus, ser-lhe-ão perdoadas as faltas”. Bukhari e Muslim.

In Sha Allah, a partir do dia 28 de Junho de 2014, passarei a enviar, diariamente e até ao final do mês de Ramadan, pequenas mensagens para reflexão e para nos ajudarem a recordar a simplicidade do islam.

“Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. Cur’ane 14:41.

Abdul Rehman Mangá

26/06/2014

“Allahumaghfirli yá Arhama Ráhimin”. Ó Allah, perdoa-me e tenha pena de mim, ó Tu mais Misericordioso de todos os que mostram misericórdia!

“Diz: Minhas orações, minhas devoções, minha vida e minha morte pertencem a Deus, Senhor do Universo, que não possui parceiro algum…”. Cur’ane 6.162.

Aproveitemos o mês de Ramadan para sermos ainda mais generosos para com todos os que nos rodeiam. Vamos dar aos pobres o que lhes pertence – distribuindo o Zakat e a Sadaka. Visitemos os doentes e os cemitérios. Oremos pelos nossos falecidos, pedindo ao mais Misericordioso dos que mostram a misericórdia, para que tenha pena deles e que descansem em paz nas suas sepulturas. Aumentemos a nossa proximidade com o Criador incrementado as nossas orações facultativas e mantendo a língua húmida (louvando a Deus). O Cur’ane que muitas vezes fica guardado no armário, “anseia” pela nossa recitação. Façam caridade em nome dos vossos pais e familiares. Enviem bênçãos para o selo da profecia, Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam). Com a alma alimentada, sentirão a paz e a tranquilidade necessária para o corpo suportar as longas horas de fome.  

“Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. Cur’ane 14:41.

28/06/2014

 Sadaka (contribuição facultativa). Sadaka é um “empréstimo” a Allah. O nosso Senhor diz: “ Quem é que empresta a Allah um bom empréstimo para que Ele lho multiplique muitas vezes? Allah restringe e estende (a  riqueza). E, para Ele regressareis.” Cur’ane 2:245. Nas  interpretações dos nossos conhecedores, passados e presentes, o termo “emprestar a Allah”,  significa gastar em caridade. “…Tudo quanto distribuirdes de caridade, Ele vo-lo restituirá, porque é O melhor dos Agraciadores”. Cur’ane 34:39. As orações facultativas, a caridade voluntária e os jejuns facultativos, serão um meio para nos aproximarmos mais do Criador e de obtermos a Sua amizade. Subhanallah!

Todos são incentivados para darem o Sadaka. Ricos e pobres, devem contribuir com o melhoramento da situação dos nossos irmãos que se encontram mais necessitados. Se alguém está com problemas graves, haverá sempre outro que se encontra numa situação ainda mais deplorável. Porque não um sorriso, um ouvido paciente, uma palavra amiga, e um conselho para a resolução dos seus problemas? Abu Burda, ouviu do seu pai e do seu avô de que o Mensageiro de Deus (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “Todo o muçulmano deve contribuir com a caridade”. As pessoas perguntaram: “Se alguém não tiver nada para dar, o que deve ele fazer?”. Respondeu: “Ele deve trabalhar com as suas mãos, beneficiando-se a si próprio e dar em caridade (do seu ganho)”. As pessoas perguntaram ainda: “Se ele não fizer isso?”. Ele respondeu: “Então deve realizar boas obras e manter longe as más acções e isso vai ser considerado como actos de caridade”. Bukhari 24:524.

Rabaná af-rig ãleiná sab-ran wa tawafaná muslimun: “Senhor Nosso, concede-nos a paciência e faze com que morramos submissos a Ti!”. Cur’ane 7:126

29/06/2014

“Allahumaghfirli yá Arhama Ráhimin”. Ó Allah, perdoa-me e tenha pena de mim, ó Tu mais Misericordioso de todos os que mostram misericórdia!

Para além das contribuições monetárias e matérias, são também consideradas e recompensadas outras formas de caridade (Sadaka). “O valor gasto pelo chefe da família aos seus dependentes, é também uma Sadaka”. Bhukari 59:343. Todos os membros do nosso corpo, são também “chamados” para a prática de Sadaka, como é explicado no seguinte hadice transmitido por Abu Huraira (Radiyalahu an-hu): O Mensageiro de Deus (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “Em todos os dias da vida de um ser humano, existe uma obrigação para cada uma das suas articulações para darem Sadaka (contribuição voluntária) – como um sinal de agradecimento a Deus; Estabelecer a justiça entre duas pessoas, é uma caridade. Ajudar uma pessoa a subir a sua montaria (o seu meio de transporte), ajuda-lo com a sua carga, é também uma caridade; A boa palavra é uma caridade; E cada passo que der em direcção à oração é uma caridade; e retirar um obstáculo do caminho (para facilitar a circulação) é também uma caridade”. Bukhari 52:232.

“Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. Cur’ane 14:41.

30/06/2014

Protelar o pagamento do Zakat (obrigatório) e da contribuição da Sadaka (facultativa) para quando formos mais idosos, é uma cilada que montamos para nós próprios. Ninguém sabe quantos anos vai ainda viver. Mas o prazer da vida, leva-nos a não pensar naquilo que é mais certo. Toda a alma experimentará o sabor da morte. Abu Huraira referiu que foi perguntado ao Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam), qual a Sadaka mais recompensável, ao que ele respondeu: “É quando ofereces Sadaka enquanto estás saudável, tendo ambição da riqueza, receando a pobreza e tendo um grande desejo de se tornar rico. Não demores (de assim o fazer) até ao aproximar do tempo da morte, quando dirás: “dêem a fulano e ao fulano, quando isso já é pertença de fulano e fulano (e para isso já é tarde demais). Bhukari 24:500. Dar Sadaka só na altura da morte, é como à pessoa que após ter satisfeito o apetite, ofereceu as sobras e não terá qualquer valor. É melhor dar uma moeda durante a sua vida do que dar 100 moedas na altura da morte. Ali (Radiyalahu an-hu) referiu que o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “Seja rápido em dar Sadaka, pois a calamidade não o consegue ultrapassar”.

Abi Din Hatim (Radiyalahu an-hu) ouviu o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) dizer: “Salvem-se do fogo do inferno, mesmo dando como caridade, metade duma tâmara”. Bhukari 24:498

Rabaná af-rig ãleiná sab-ran wa tawafaná muslimun: “Senhor Nosso, concede-nos a paciência e faze com que morramos submissos a Ti!”. Cur’ane 7:126

01/07/2014

Abú Ayyub Sulayman, relatou: “Abu Huraira (Radialahu an-hu), veio ter connosco numa quinta-feira ao anoitecer, como o fazia nos encontros semanais, para nos ensinar e relembrar os ditos do Mensageiro de Allah (Salalahu Aleihi Wassalam). Mas antes de iniciar a lição, advertiu-nos: “Se alguém que está aqui sentado, tem alguma relação familiar cortada, deve abandonar esta reunião (e ir reparar o relacionamento)”. Após ter repetido as mesmas palavras  por três vezes, um jovem deixou o agrupamento e foi ter com a tia com quem deixou de falar há mais de dois anos. Ao encontrar-se com a tia, ela perguntou-lhe: “Meu sobrinho, o que te trouxe até aqui?”. Ele contou à tia o ouvira de Abu Huraira. Ela pediu-lhe para ir ter com Abu Huraira para lhe perguntar os motivos de ter dito aquelas palavras (em vez de mencionar os grandes pecados, porque focou ele apenas esta questão? Porque eram tão especiais os laços familiares?). Abu Huraira ao ser questionado, disse: “Eu ouvi do profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) referir: “Em todas as quintas feiras (ao anoitecer), as acções dos filhos de Adão são presentes a Deus, o Altíssimo e quem rompeu os laços familiares, terá todas as suas boas acções rejeitadas”. In Al-Adab Al Mufrad, do Imam Bhukari.

Nesta passagem, aprendemos duas questões importantes: “As consequências de quem rompeu os laços familiares” e “a importância da sexta-feira, que se inicia imediatamente após o entardecer de quinta-feira”. A importância do início do dia de Juma (sexta feira), é tal que muitos jejuam às quintas-feiras, para que as suas acções ascendam ao céu, enquanto estão jejuando. O período entre a oração do entardecer das quintas-feiras (Magrib), até à oração de Juma, deve ser aproveitada para reflexão e incremento da nossa  actividade religiosa. “Recordai-vos de Mim, que Eu Me recordarei de vós”. Cur’ane 2.152.

“Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. Cur’ane 14:41.

02/07/2014

“Allahumaghfirli yá Arhama Ráhimin”. Ó Allah, perdoa-me e tenha pena de mim, ó Tu mais Misericordioso de todos os que mostram misericórdia!

Os Mensageiros e Profetas de Deus tiveram a preocupação de fazerem o seu melhor, mas muitos sentiam-se impotentes para transformar os corações adormecidos dos seus povos. O resultado das missões de alguns Profetas, se reduziram a escassos seguidores. No dia da Ressurreição, alguns Profetas entrarão sozinhos no Paraíso, outros terão poucos acompanhantes e outros muito mais seguidores.

Ibn Abbas (Radiyalahu an-hu) contou que uma vez o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse que um Profeta irá passar por ele com um só seguidor, outro com dois, outro com vários,  outro com um grupo de pessoas e outro não terá ninguém com ele. Bhukari 71:648.

Anas b. Malik referiu que o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “ entre os apóstolos, eu terei o maior número de seguidores no Dia da Ressurreição; e eu serei o primeiro a bater a porta do Paraíso”. Muslim 1:382.

Na noite de Mir’aj, Mussa – Moisés (Aleihi Salam) chorou quando Muhammad (Salalahu Aleihi wassalam) encontrou-se com ele. Foi-lhe perguntado os motivos da sua tristeza e ele disse: “Ó Senhor meu! Os seguidores deste jovem Profeta, que foi enviado depois de mim, vão entrar no paraíso em maior número, em relação aos meus seguidores. Bukhari 54.429.

O crescimento do Islam em todos os continentes confirma o que Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) referiu há mais de 1.400 anos.

Rabaná af-rig ãleiná sab-ran wa tawafaná muslimun: “Senhor Nosso, concede-nos a paciência e faze com que morramos submissos a Ti!”. Cur’ane 7:126

03/07/2014

Certos povos anteriores não acreditaram que os Mensageiros de Deus pudessem ser portadores de revelações divinas, por serem tão humanos como eles e por isso os rejeitaram. “Eles dizem: que espécie de mensageiro é este que come e se move nas ruas?”. Surat Al.Furqan 7. O povo de ‘Ad também rejeitou o Profeta Hud (Aleihi Salam) referindo que ele não era mais do que um ser humano. Ao Profeta Salih (Aleihi Salam) também foi-lhe dito pelo povo de Thamud: “vamos seguir um homem entre nós mesmo?”. (Al Qamar 24). E os Profetas  de Deus sempre lhes respondiam: “É verdade que não somos mais do que seres humanos como vocês, mas Deus mostra o Seu favor aos Seus servos que Lhe apraz. (Surat Ibrahim 10,11).

Os descrentes de Maka também não aceitaram Muhammad (Salalahu Aleihi wassalam), por ser um homem como eles e ainda mais por pertencer à mesma comunidade. No Cur’ane e em todos os outros Livros Sagrados, é referido de que os mensageiros eram seres humanos e não anjos ou seres sobrenaturais. Eles nasciam, alimentavam-se, casavam, tinham filhos e também morriam, para que cada comportamento durante as suas vidas, servisse de exemplo para os seus povos. Aos profetas só lhes cabia transmitirem a palavra de Deus. “E não nos cabe mais do que transmitir claramente a mensagem”. Yácin 36:17

Rabaná af-rig ãleiná sab-ran wa tawafaná muslimun: “Senhor Nosso, concede-nos a paciência e faze com que morramos submissos a Ti!”. Cur’ane 7:126

04/07/2014

“Allahumaghfirli yá Arhama Ráhimin”. Ó Allah, perdoa-me e tenha pena de mim, ó Tu mais Misericordioso de todos os que mostram misericórdia!

O coração é a parte mais importante do nosso corpo, donde emanam todas as ordens para os órgãos do nosso corpo. “Allah não olha para os vossos corpos nem para os vossos rostos, mas sim para os vossos corações”.  Muslim 32:6220. É o coração que comanda todos os órgãos do nosso corpo. E todas as nossas acções serão julgadas de acordo com as nossas intenções. A língua age em conformidade com os desejos do nosso coração. Se o coração for bom, a língua habituar-se-á a falar bem e se o coração se encontrar corrompido, a língua expressará as maiores barbaridades. A língua tem uma capacidade de se mover com maior rapidez, em relação a qualquer outro membro do corpo. Se alguém não ponderar no que vai dizer, mesmo que seja uma palavra, poderá destruir num segundo, um trabalho, uma amizade ou um relacionamento que se considerava duradouro. Por causa desse perigo, os restantes órgãos do corpo avisam a língua: “Temei a Deus por nós, pois nós estamos dependentes de ti. Se tu fores justo, as nossas acções serão justas. Se tu estiveres corrompido, nós também estaremos todos corrompidos”. At Tirmidi.

Rabaná af-rig ãleiná sab-ran wa tawafaná muslimun: “Senhor Nosso, concede-nos a paciência e faze com que morramos submissos a Ti!”. Cur’ane 7:126

05/07/2014

A maior parte dos nossos pecados, são cometidos através da língua. Abu Huraira (Radiyalahu an-hu) referiu que o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “Quem crê em Deus e no Dia do Juízo Final, deve falar boas palavras ou então, o melhor é manter-se em silêncio”. Muslim 01.75. Devemos ter em atenção com as nossas palavras, porque por cada insulto ou difamação, Deus será severo na nossa prestação de contas. Deus é conhecedor de tudo o que fazemos e o que falamos. Criamos o homem e sabemos o que a sua alma lhe confidencia, porque estamos mais perto dele do que a (sua) artéria jugular. Eis que dois anjos da guarda são apontados para anotarem (as suas obras), um sentado à sua direita e outro à esquerda. Não pronunciará palavra alguma, sem que junto a ele esteja presente uma sentinela (anjo), pronta para a anotar”. Cur’ane 50: 16,17 e 18.

“Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. Cur’ane 14:41.

06/07/2014

“Allahumaghfirli yá Arhama Ráhimin”. Ó Allah, perdoa-me e tenha pena de mim, ó Tu mais Misericordioso de todos os que mostram misericórdia!

Muitas vezes as disputas religiosas, trazem consequências graves para os interlocutores. Nas discussões acerca das questões duvidosas, cada um dará a sua opinião que muitas vezes é contrária à do outro. Teremos dois “sábios” a discutirem uma matéria sobre a qual não têm qualquer conhecimento. Das discussões, passarão às palavras ofensivas e deixar-se-ão de falar por longos períodos. Mais uma vez as línguas corromperam-se e eles caíram na armadilha do sheitan, cometendo vários pecados graves. Não seguiram as orientações do Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam): “Devemos estar longe do que é duvidoso, do qual não temos conhecimento, porque aquele que se protege contra as coisas duvidosas, mantém a sua religião e a sua honra irrepreensíveis; Bhukari 2:49 e Muslim 10:3882. “Não é permitido a um crente deixar de falar com outro crente, por um período acima de três dias. Se passarem 3 dias, ele deve procurar com quem se zangou e saúda-lo. Se o outro responder a saudação, ambos partilharão a recompensa. Mas se não retribuir a saudação, então este carregará o fardo do seu pecado e quem tiver cumprimentado, estará livre do pecado”. Relato de Abu Daud.

Rabaná af-rig ãleiná sab-ran wa tawafaná muslimun: “Senhor Nosso, concede-nos a paciência e faze com que morramos submissos a Ti!”. Cur’ane 7:126

07/07/2014

Luqman foi agraciado por Deus com sabedoria e deixou importantes recomendações para toda a humanidade. Não foi um Profeta, mas Deus revelou um capítulo completo do Cur’ane com o seu nome. Luqman, dirigindo-se ao seu filho com palavras sábias e contundentes, exorta toda a humanidade para o melhor carácter e para terem cuidado com a língua, como por exemplo: “E modera o teu andar e baixa a tua voz, porque o mais desagradável dos sons é o zurro dos asnos”.Cur’ane  31:19. Quem fala muito, pode exagerar no que diz ou pode até incorrer em erro. Por isso, Luqman recomenda: “Ó meu filho, eu nunca senti qualquer arrependimento por guardar silêncio. Se as palavras são de prata, o silêncio é de ouro”.

Uma vez, quando Luqman era escravo, o seu senhor ordenou-lhe para matar uma cabra e depois trazer-lhe duas das mais  agradáveis partes. Luqman assim fez e trouxe para ele, a língua e o coração. E o seu senhor perguntou-lhe se não havia mais nada agradável, em relação àquilo que trouxe? E Luqman respondeu que não. Mais tarde, o seu senhor ordenou-lhe para matar outra cabra e trazer-lhe as duas partes mais malignas do animal. Assim fez Luqman e trouxe a língua e o coração. O ordenante, surpreendido, replicou: Eu ordenei-te que me trouxesse as partes mais deliciosas e tu trouxeste a língua e o coração. E depois ordenei-te para trazeres as partes mais malignas e tu voltaste a trazer a língua e o coração. Como pode ser isso? Luqman disse: “Nada mais pode ser mais delicioso do que a língua e coração se eles forem bons e nada mais poderá ser mais maldoso, se os mesmos forem malignos”.

“Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. Cur’ane 14:41.

08/07/2014

Abdullah b. Amr b. al-As referiu  que alguém perguntou ao Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam), quem dos muçulmanos é o melhor. O Profeta respondeu: “de cujas mãos e língua os (outros) muçulmanos estão seguros”. Muslim 1.64. Uma das recomendações do islam, é o de mantermos boas relações de amizade com os nossos vizinhos, independentemente da sua filiação religiosa. Não escolhemos os nossos vizinhos e por isso é natural que nos encontremos rodeados de pessoas de todos os extractos socias.  São eles os primeiros a socorrer-nos quando surge uma preocupação. Esta belíssima recomendação não é seguida por alguns, que utilizam linguagem violenta, criando conflitos permanentes. Uma mulher (ou homem) que efectua as suas orações, jejua e distribui a caridade, mas que a sua língua incomoda e magoa os vizinhos, será uma das residentes do inferno. Bhukari.

Rabaná af-rig ãleiná sab-ran wa tawafaná muslimun: “Senhor Nosso, concede-nos a paciência e faze com que morramos submissos a Ti!”. Cur’ane 7:126

09/07/2014

“Allahumaghfirli yá Arhama Ráhimin”. Ó Allah, perdoa-me e tenha pena de mim, ó Tu mais Misericordioso de todos os que mostram misericórdia!

Quando duas ou mais pessoas se encontram, é natural que depois de se cumprimentarem, troquem impressões acerca dos diversos aspectos das suas vidas. Esgotada a política o futebol e receitas culinárias, para preencherem os temas da conversa, passam a falar dos ausentes, caindo na calúnia. “Ai do difamador e do caluniador”. Cur’ane 104.1. Se não tiverem mais motivos de conversa, é melhor estarem juntos em silêncio, do que falarem só por falar, dizendo bobagens e acabando por caírem na calúnia. Refere o provérbio Árabe: If you can’t say a good word, keep silent. Se não conseguires dizer uma boa palavra, fique calado! O Isslam ensina-nos de que o valor do crente é medido pelo seu carácter e não pela etnia, cor ou riqueza. Nas entradas das Mesquitas, enquanto não se iniciam as orações, é habitual vermos os crentes em pequenos grupos dialogando. Infelizmente, em alguns desses agrupamentos afiam-se as línguas, difamando os que não se encontram presente. “Ó fiéis, que nenhum povo zombe do outro; é possível que (os escarnecidos) sejam melhores do que eles (os escarnecedores). Que nenhuma mulher zombe de outra, porque é possível que esta seja melhor do que aquela…..”. Surat Hujjurat 49.11. Seria melhor que fizessem companhia aos que se encontram dentro da mesquita em meditação. Consta num hadice de que o Profeta Muhammad (Sallalahu Aleihi Wassalam) estava a passar com os seus companheiros perto de duas sepulturas e foi-lhe revelado que os ocupantes dessas duas campas estavam a ser castigados, um porque andava sempre a intrigar e a caluniar e o outro porque não  se cuidava da urina. –Bhukari e Musslim.

“Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. Cur’ane 14:41.

10/07/2014

Outra forma de difamar um crente, é chamá-lo à atenção em frente de outras pessoas. É uma humilhação que alguns sentem o prazer de cometer. Se vermos alguém praticando algo que consideramos errado, devemos chama-lo à parte e conversar com ele. Nunca o devemos fazer à frente de todos e ainda em voz alta, para dar ênfase ao “nosso saber”. A melhor maneira é pedir ao responsável da Mesquita, ou alguém mais erudito para falar com ele. Lembremo-nos de que com a globalização, estamos juntos nas orações com irmãos de todos os quadrantes. Cada um aprendeu nos seus países, de acordo com as 4 escolas sunitas. O desconhecimento da existência dessas pequenas diferenças, podem causar estranheza e discussões desnecessárias. Já temos assistido a discussões violentas de duas pessoas, cada uma defendendo a sua posição e cada uma pensando que sabe mais do que o outro, quando na realidade, não sabem nada. “Depois de assentar a poeira, verás se montavas num cavalo ou num burro.” (ditado popular muito utilizado no meio muçulmano). Os eruditos têm uma responsabilidade acrescida. Como responsáveis religiosos, dão orientações religiosas à comunidade e muitas vezes não seguem essas mesmas orientações. “Faz aquilo que eu digo e não aquilo que eu faço”. Ammar (Radiyalahu an hu), referiu que o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “Quem tiver duas caras neste mundo, terá duas línguas de fogo no dia da Ressurreição”. 41-4855 Sunan Abudawud.

Rabaná af-rig ãleiná sab-ran wa tawafaná muslimun: “Senhor Nosso, concede-nos a paciência e faze com que morramos submissos a Ti!”. Cur’ane 7:126

11/07/2014

“Allahumaghfirli yá Arhama Ráhimin”. Ó Allah, perdoa-me e tenha pena de mim, ó Tu mais Misericordioso de todos os que mostram misericórdia!

Os gestos também se expressam no bom e no mau sentido. Quantas vezes utilizamos gestos para ridicularizar, difamar e menosprezar os nossos semelhantes? Com os dedos das nossas mãos, fazemos gestos para caracterizar uma situação ou então para ofender as pessoas. Ai das mãos que também prestarão contas por tudo o que o nosso coração lhes ordenou! “Ó féis, evitai tanto quanto possível a suspeita, porque algumas suspeitas implicam em pecado. Não vos espreiteis nem vos calunieis mutuamente. Quem de vós seria capaz de comer a carne do seu irmão morto? Tal atitude vos causa repulsa! Temei a Deus, porque Ele é Remissório e Misericordiosíssimo”. Cur’ane 49:12.

“Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. Cur’ane 14:41.

12/07/2014

O Profeta proibiu a sua família de falar mal dos outros, como é referido numa passagem em que Aisha (Radiyalahu an-há), ao falar de  Saffiya, dizendo tal e tal e um terno que significa de que ela é duma estatura baixa.  O Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) repreendeu-a, dizendo: “Você disse uma palavra que se fosse misturado no mar, o mesmo mudaria de cor”. Sunan Abu Dawood. 41/4857. Aproveitemos a oportunidade, enquanto estiverem vivos aqueles que ofendemos, para lhes pedirmos desculpas pelo mal causado pelas nossas línguas, porque se não o fizermos, na prestação de contas as nossas boas acções serão entregues aos ofendidos como compensação, até que se esgotem e passemos a assumir os pecados deles. Mas se o ofendido não aceitar o pedido de desculpas ou se a situação não for possível para essa remissão pelas teimosias dos ofendidos, então deve pedir perdão a Deus pelo sucedido e falar bem deles publicamente. “Ó meus servos que se excederam contra si próprios, não se desesperem da Misericórdia de Deus, certamente que Ele perdoa todos os pecados, porque Ele é o Clemente e Misericordioso.” Cur’ane 39:53.

Rabaná af-rig ãleiná sab-ran wa tawafaná muslimun: “Senhor Nosso, concede-nos a paciência e faze com que morramos submissos a Ti!”. Cur’ane 7:126

13/07/2014

“Allahumaghfirli yá Arhama Ráhimin”. Ó Allah, perdoa-me e tenha pena de mim, ó Tu mais Misericordioso de todos os que mostram misericórdia!

Habituemos a nossa língua a falar o bem e a verdade. A verdade conduz à virtude e a virtude conduz ao paraíso. A mentira leva à maldade e  a maldade leva ao inferno. Falamos mentiras, como se fosse algo normal e quando alguém nos pede contas, dizemos: “eu estava a brincar”. Na presença ou não dos nossos amigos, da nossa família, em especial dos nossos filhos, não devemos utilizar palavrões, mesmo a linguagem grosseira que possa ser considerada menos ofensivas. Lembremo-nos de que os nossos filhos têm tendência de nos copiarem, das nossas atitudes e das nossas palavras. Assim eles se absterão do mal dizer. Quando os nossos filhos nascem, preocupamo-nos em ensina-los a transformarem os pequenos sons em palavras. Porque não incluir também “Lá ilah ilallah”? Para os mais adultos, a língua deve estar sempre húmida, na recordação de Deus. O Apóstolo de Deus (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “As duas palavras a seguir, são frases os expressões muito fáceis para a língua e muito pesadas na balança (da recompensa) e muito amadas pelo Misericordioso Todo-Poderoso: Subhan Allah Wa Bi-Hamdihi; Subhana Allahi-L-Ãzim”. Bukhari 78:673.

“Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. Cur’ane 14:41.

14/07/2014

تَوَفَّنِىۡ مُسۡلِمًا وَّاَلۡحِقۡنِىۡ بِالصّٰلِحِيۡنَ‏    “Tawaffani musliman wa alhiqni bi sualihin” – “…Faz com que eu morra muçulmano (submisso a Ti) e junta-me aos virtuosos”. Cur’ane 12.101

رَبَّنَاۤ اَفۡرِغۡ عَلَيۡنَا صَبۡرًا وَّتَوَفَّنَا مُسۡلِمِيۡنَ  “Rabbaná af-rig ãleiná sab-ran wa ta wa fana muslimin” – “…Senhor nosso, concede-nos a paciência e faz com que morramos submissos a Ti (como muçulmanos)!”. Cur’ane 7:126

Abdullah Ibn Massude (Radyialahu an-hu), referiu que O Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) jurou por Deus e disse: “acontece que um de vós praticar acções próprias  da gente do paraíso até não faltar senão um palmo para chegar a este (paraíso) e aí ele ser  antecipado pelo livro e  começar a praticar acções da gente do inferno e assim ele entrar no inferno. E acontece que um de vós praticar acções da gente  do inferno  até não faltar senão um palmo para chegar ao inferno e começar a praticar  acções  da gente do paraíso e entrar no paraíso. (Bukari e Muslim).

Rabaná af-rig ãleiná sab-ran wa tawafaná muslimun: “Senhor Nosso, concede-nos a paciência e faze com que morramos submissos a Ti!”. Cur’ane 7:126

“Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. Cur’ane 14:41.

15/07/2014

“Allahumaghfirli yá Arhama Ráhimin”. Ó Allah, perdoa-me e tenha pena de mim, ó Tu mais Misericordioso de todos os que mostram misericórdia!

Buraida (Radiyalahu an-hu) referiu que o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) ensinava as pessoas que iam visitar os cemitérios a recitarem a seguinte prece: “Que a Paz de Deus esteja convosco, moradores deste lugar, crentes e muçulmanos. Se Deus quiser, breve estaremos convosco. Imploro a Deus o perdão para nós e também para vós”. Muslim.

Assalamo Aleikum Warahmatulah Wabarakatuhu (Com a  Paz, a Misericórdia e as Bênçãos  de  Deus)

“Allahumaghfirli yá Arhama Ráhimin”. Ó Allah, perdoa-me e tenha pena de mim, ó Tu mais Misericordioso de todos os que mostram misericórdia!

Rabaná af-rig ãleiná sab-ran wa tawafaná muslimun: “Senhor Nosso, concede-nos a paciência e faze com que morramos submissos a Ti!”. Cur’ane 7:126

16/07/2014

O primeiro pilar – a fé –, deve ser renovado sempre com “LA ILAHA ILLA LLAH NÃO HÁ OUTRA DIVINDADE, SENÃO DEUS,  A (ÚNICA) DIVINDADE. Estas palavras devem ser recitadas com sinceridade durante toda a nossa vida. São simples palavras que nos ensinam a Unicidade de Deus e para Ele será o nosso retorno. Serão as luzes que iluminarão as nossas sepulturas. Para testemunharmos que Muhammad (Salalahu Aleihi wassalam) é o último Mensageiro e Profeta de Deus, devemos recitar duma forma completa a Shahadah (declaração de fé): “LA ILAHA ILLA LLAH MUHAMMAD RASSULULAH– “NÃO HÁ OUTRA DIVINDADE, SENÃO DEUS,  A (ÚNICA) DIVINDADE, E QUE MUHAMMAD É O SEU (ÚLTIMO) MENSAGEIRO. Num longo hadice o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) referiu aos seus companheiros (Radiyalahu an-huma) o que viu num sonho, relativo ao dia da Ressurreição. Entre algumas das passagens, disse “Eu vi uma pessoa entre os meus seguidores a quem a porta do paraíso se tinha fechado quando ela lá chegou. Veio então o seu Kalimah Shahadah – La ilaha illallah – (Não há outra divindade, senão Deus – declaração de fé), abriu-lhe a porta e deixou-a entrar” (At-Tabarni). SubhanaAllah!!!

“Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. Cur’ane 14:41.

17/07/2014

“Allahumaghfirli yá Arhama Ráhimin”. Ó Allah, perdoa-me e tenha pena de mim, ó Tu mais Misericordioso de todos os que mostram misericórdia!

A oração, o segundo pilar, é obrigatório para todos os muçulmanos. Para a efectuarmos correctamente, devemos relembrar / aprender, de modo a evitarmos erros que transformem as recompensas em pecados. Para efectuarmos a oração, o primeiro aspecto que devemos ter em conta, é a limpeza do nosso corpo e das nossas roupas. Não basta fazer a ablução (Uzú), se não nos lavarmos convenientemente, por exemplo depois de urinarmos. No referido longo hadice, o Profeta de Deus (Salalahu Aleihi Wassalam) disse também: “Eu vi uma pessoa entre os meus seguidores, que tinha acabado de ser  enterrado e quando chegou a hora da punição do túmulo, veio o seu Uzhú (ablução) e salvou-o da punição. Eu vi um homem entre os meus seguidores, que estava ao pé dos Profetas e foi impedido por eles de se sentar ao lado deles.  Veio o seu Ghussal (banho obrigatório após o contacto intimo com o seu conjugue) e o fez sentar-se ao meu lado. Eu vi um homem entre os meus seguidores a quem os anjos da punição tinham aterrorizado e entristecido. Vieram então as suas orações (Salat) e salvaram-no. Eu vi uma pessoa entre os meus seguidores que estava a andar de joelhos na ponte de Sirat. Veio então o seu Salat (orações), fê-la levantar-se e ela atravessou a ponte”. SubhanaAllah!!!

Rabaná af-rig ãleiná sab-ran wa tawafaná muslimun: “Senhor Nosso, concede-nos a paciência e faze com que morramos submissos a Ti!”. Cur’ane 7:126

“Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. Cur’ane 14:41.

18/07/2014

Todas as adorações feitas pelo crente, são para o benefício do crente. O jejum que o crente efectua no mês de Ramadan, ou fora dele, é exclusivamente para Deus! É no mês de Ramadan que aproveitamos para purificar a nossa concepção da religião, porque apesar de ocupados também com os nossos afazeres profissionais, encontramos tempo e disposição para relembrar e aprender. Nesse mês, os crentes enchem as mesquitas, colhendo os ensinamentos que os eruditos nos dão acerca dos diversos temas da religião e da vida. É o Din AL Nassi’ah. É uma boa oportunidade para aprendermos e purificarmos a nossa fé. Deus sabendo a fraqueza do ser humano, porque passa todo o ano agitado e não encontra tempo suficiente pata se lembrar Dele, Allah, Subhana Wataala, com a sua infinita Misericórdia concedeu-lhe o mês de Ramadan, para inverter a situação. De facto, o Ramadan provoca um fascínio no muçulmano, difícil de se explicar. Também no jejum facultativo efectuado nos dias especiais, como por exemplo no dia de Arafah, ou em dias alternados ao longo do ano, serão uma provisão para a vida futura (Akhirat). Ainda no referido longo hadice acerca do Dia da Ressurreição, o Profeta Salalahu Aleihi Wassalam) referiu: “Eu vi uma pessoa sequiosa entre os meus seguidores, com a língua de fora, que não conseguia beber água quando pretendia fazê-lo. Veio então o seu jejum e saciou-lhe a sede”. SubhanaAllah!!!

Rabaná af-rig ãleiná sab-ran wa tawafaná muslimun: “Senhor Nosso, concede-nos a paciência e faze com que morramos submissos a Ti!”. Cur’ane 7:126

19/07/2014

“Allahumaghfirli yá Arhama Ráhimin”. Ó Allah, perdoa-me e tenha pena de mim, ó Tu mais Misericordioso de todos os que mostram misericórdia!

O Zakat, o quarto pilar do islam, é a purificação da riqueza. Também existem regras para o seu cumprimento. Devemos aprender / recordar os métodos para o calculo e pagamento do Zakat, uma obrigação para a qual teremos de responder. O crente rico, que tem por hábito distribuir caridade, terá neste mundo a “Baraka” (a abundância). Sentir-se-á espiritualmente realizado e a sua riqueza não diminuirá por causa disso. “E há nos seus bens, uma parte para o mendigo e para o desafortunado”. Se o Zakat é obrigatório para os que têm capacidade financeira, como será possível o crente que nada tem cumprir com este importante pilar? O Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “Salvem-se (a vós próprios), mesmo dando em caridade, metade duma tâmara”. Bhukari. Ainda referiu o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam): “É obrigatório para todos os muçulmanos darem a esmola (sakaka)” Perguntaram se uma pessoa não tiver nada para dar? Respondeu: Ele deve trabalhar com as suas mãos, para que possa beneficiar-se e dar a caridade. Se não conseguir, deve ajudar os oprimidos. Se não puder, deve dizer o que é razoável. Se não puder, deve abster-se de fazer o mal, porque tudo será considerado como sadaka”. Bhukari 73:51. Todas as boas acções são Sadaka. No referido longo Hadice relatado por At-Tabarni, quando Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) contou aos seus companheiros o que viu num sonho, disse também: “Eu vi um homem entre os meus seguidores a pôr as mãos sobre a cara para se proteger do calor e do fogo do inferno. Veio então a sua caridade, tornou-se num muro, salvou-o do fogo e tornou-se numa sombra sobre ele”. SubhanaAllah!!!

Seja mais generoso durante o mês de Ramadan, distribua Zakat e Sadaka. O Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse que uma das 7 pessoas que será acomodada por Deus na sombra da Sua Misericórdia, no dia em que não haverá nenhuma sombra excepto a Sua, é a pessoa que dá esmola e que a mão que dá (a direita) o faz com tanto secretismo, que a outra mão não sabe. Bhukari 24:504.

“Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. Cur’ane 14:41.

20/07/2014

Para finalizar este tema subordinado ao tema “AL Din AL Nassi’ah”, vou referiu o quinto pilar do Islam – o Haj“E completai o Haj e o Umra exclusivamente para Deus”. Cur’ane 2:196. O niyat (a intenção) de ir fazer o Haj, deve acompanhar-nos durante toda a vida. Ao perspectivar-se a viagem, devemos aprender todos os rituais que iremos realizar, de modo a obtermos o máximo de recompensas possíveis. Para o Haj assim realizado, o Paraíso será a recompensa. Muitos ficam receosos porque pensam que terão muitas dificuldades para o cumprimento dos rituais. Mas a melhor maneira de afastar esse temor, é ler, perguntar e aprender, antes da viagem. Desenganem-se aqueles que pensam de não podem ir fazer o Haj, por não terem condições financeiras. Quantas pessoas que nada tinham e de repente ouvimos falar de que já estão a caminho da peregrinação? E outros com muitas posses, acabam por morrer sem cumprirem com o 5º. Pilar? No caso de impossibilidade de cumprir com o Haj, as recompensas podem ser obtidas de várias maneiras, como por exemplo através do nosso comportamento, o carácter e o relacionamento com os nossos vizinho e com os nossos colegas não muçulmanos. Será uma das melhores formas de demonstrarmos a Paz do islam. Também o respeito e a compaixão pelos nossos pais, em especial quando eles atingirem a velhice, é uma outra via para obtermos inúmeras recompensas por parte de Allah, nosso Criador. Todos aqueles que não participam na peregrinação, têm a oportunidade de expiarem os seus pecados, fazendo o jejum no dia de Arafat. O Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “O Haj é Arafah, O Haj é Arafah”. Relato de Baihaque. Ainda referiu: “O melhor dia, é o dia de Arafah”. Acerca do jejum no dia de Arafah, disse: “permite emendarem-se as faltas (cometidas) durante o ano anterior e o ano seguinte”. Muslim. No longo hadice que o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam), contou aos seus companheiros, acerca do sonho que teve relativo ao Dia da Ressurreição, disse: “Eu vi uma pessoa entre os meus seguidores, rodeada de escuridão e que não sabia para onde ir. Veio então o seu Hajj e Umrah, tirou-a da escuridão e trouxe-a para a luz”. At-Tabarni. SubhanaAllah!!!

Rabaná af-rig ãleiná sab-ran wa tawafaná muslimun: “Senhor Nosso, concede-nos a paciência e faze com que morramos submissos a Ti!”. Cur’ane 7:126

21/07/2014

“Allahumaghfirli yá Arhama Ráhimin”. Ó Allah, perdoa-me e tenha pena de mim, ó Tu mais Misericordioso de todos os que mostram misericórdia!

LAILATUL KADR – NOITE DO PODER

“EM NOME DE DEUS, O BENEFICENTE E O MISERICORDIOSO: – NA VERDADE NÓS REVELAMOS ESTA (MENSAGEM) NA NOITE DO PODER. O QUE É QUE TE FARÁ CONHECER O QUE É A NOITE DO PODER? A NOITE DO PODER É MELHOR DO QUE UM MILHAR DE MESES (de 83 anos e 4 meses). OS ANJOS E O ESPÍRITO DESCEM, ENTÃO, COM A PERMISSÃO DO SEU SENHOR, COM TODOS OS DECRETOS. ESSA NOITE É DE PAZ ATÉ AO ROMPER DA AURORA.”  – Cur’ane – Surat 97.

Hazrat Anas (Radiyalahu an-hu), referiu que o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “Na verdade, chegou um mês perante vós, no qual existe uma noite melhor do que mil meses. Aquele que perder uma noite destas, na verdade, ficou privado de todos os bens, e ninguém ficará privado, excepto aquele que é infortunado.”

Hazrat Aisha (Radiyalahu an-há) relatou: “Eu disse; Ò Mensageiro de Deus (Salalahu Aleihi Wassalam), se me encontrar na Lailatul Kadr (Noite do Poder), que prece devo efectuar? O Profeta respondeu: “Diz Allahumma Innaka Afuwwun Tuhibbul Ãfwa Fa’fu anni – Ó Allah, na verdade, És Perdoador, gostas de perdoar, por isso perdoa-me.”

اللَّهُمَّ إِنَّكَ عَفُوٌّ تُحِبُّ الْعَفْوَ فَاعْفُ عَنِّي

Rabaná af-rig ãleiná sab-ran wa tawafaná muslimun: “Senhor Nosso, concede-nos a paciência e faze com que morramos submissos a Ti!”. Cur’ane 7:126

“Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. Cur’ane 14:41.

22/07/2014

“Ó gente, adorai o Vosso Senhor … que criou para vós a terra como leito e os céus como tecto; e fez cair a chuva dos céus e produz com ela, frutos para o vosso sustento….”. Cur’ane 2:21,22. Sem água não haveria vida. Os seres vivos podem suportar a falta de alimentos por um determinado número de dias, mas para o mesmo número de dias, a falta de água seria fatal.

Como Deus não aceita a caridade dada através de bens de proveniência ilícita, também Deus não aceita a oração de um crente que não esteja limpo. A limpeza é a metade da fé. O crente utiliza a água para tomar banho completo (gussl) e para fazer as abluções. Liberta-se dos pecados (pequenos) e fica com o corpo e  espírito purificados. Uthman Ibn Affan (Radiyalahu an-hu) referiu que o Mensageiro de Deus (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “A pessoa que efectuar convenientemente a ablução, os seus pecados sairão do seu corpo, mesmo saindo debaixo das suas unhas”. Muslim 2:476. Ele estará assim limpo e purificado para, nas suas orações diárias, estar perante Deus, o nosso Criador. Ao efectuar a ablução, lavando partes do seu corpo, estará também a “lavar – purificar” os pecados cometidos por cada um dos membros do seu corpo. Os olhos vêm o que não devem, as mãos agarram o que não devem e os pés levam-nos para às más acções, distantes das mesquitas, dos nossos familiares, dos doentes e dos necessitados.

“Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. Cur’ane 14:41.

23/07/2014

“Allahumaghfirli yá Arhama Ráhimin”. Ó Allah, perdoa-me e tenha pena de mim, ó Tu mais Misericordioso de todos os que mostram misericórdia!

Abu Huraira (Radiyalahu an-hu) relatou de que Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “Quando um muçulmano ou um crente lava o seu rosto (durante a ablução), todos os pecados contemplados pelos seus olhos, serão lavados (retirados) do seu rosto ou com a última gota da água; quando ele lava as mãos, todos os pecados cometidos serão apagados das suas mãos com a água ou com a última gota de água; e quando ele lava os seus pés, todos os pecados por eles cometidos, serão lavados com a água ou com a última gota da água; ficará assim livre de todos os pecados”. Muslim 2:475.

“Todos os filhos de Adão são pecadores. Mas o melhor dos pecadores, é aquele que se arrepende e pede perdão”. Tirmidi. A melhor maneira de pedir perdão, é fazer a ablução e efectuar uma oração facultativa (Salat Tauba) e depois levantar as mãos e pedir perdão a Deus. Conforme o ensinamento do Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam), o banho, a ablução, a oração e o duah (prece) “lavam” os pecados dos crentes:  Abu Huraira (Radiyalahu an-hu) referiu que o Mensageiro de Deus (Salalahu Aleihi Wassalam) perguntou aos seus companheiros: “Se houvesse um rio na porta de qualquer um de vós e que nela tomassem banho cinco vezes por dia, vocês iriam notar alguma sujidade nos vossos corpos?” Eles responderam: “Não ficaria nenhum rasto de sujidade”. O Profeta acrescentou: “Esse é o exemplo das cinco orações com as quais Allah Subhana Wataala apaga (anula) as más acções”. Bukhari 10:506.

Rabaná af-rig ãleiná sab-ran wa tawafaná muslimun: “Senhor Nosso, concede-nos a paciência e faze com que morramos submissos a Ti!”. Cur’ane 7:126

24/07/2014

SADACATUL FITRE

 O Sadacatul Fitre (contribuição destinada aos carenciados para passarem com alguma dignidade o Idul-Fitre – festa do final do Ramadan), é obrigatório para os  muçulmanos financeiramente  capazes. O responsável pelo agregado familiar, deve pagar pelos seus dependentes (filhos, esposa e outros a seu cargo). O valor deve ser entregue antes da oração de Idul Fitr, de modo a facilitar que os necessitados possam também preparar-se para os festejos do Ide. Se a contribuição for entregue depois, deixa de constituir o Sadacatul Fitre e passa a ser um simples sadacah. O Sadacatul Fitre é também um meio purificador dos nossos jejuns.

Para além de cumprir com aquela obrigação, dentro das possibilidades, contribua generosamente para que uma ou mais famílias possam ter na mesa do almoço do Idul Fitre, um pouco daquilo que vai ter na sua casa. 

– SHAWWAL –

De acordo com o relato de Abu Ayyub al-Ansari (Radiyalahu an-hu), o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) referiu: “Todo aquele que jejuou durante o mês de Ramadan e de seguida observou 6 dias de jejum de Shawwal, é como tivesse jejuado todos os dias. – Muslim 6. 2614.

Não é obrigatório, mas é recomendável fazer os 6 dias de jejum. Dependerá da disponibilidade,  saúde e entusiasmo de cada um. De preferência, os 6 dias devem ser seguidos. No caso de impossibilidade, podem ser observados alternados ou não, mas durante o mês de Shawwal.

“Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. Cur’ane 14:41.

25/07/2014

– EID MUBARAK – IDUL FITR –

Hambani, Hambani iyá Ramadan (Língua local Moçambicana) (Adeus, Adeus, ó Ramadan). Tu virás outra vez para o ano, mas nós não sabemos se te vamos encontrar!

Após um mês inteiro de sacrifício, a jejuar e a incrementar as orações, Deus, o Altíssimo, concedeu-nos o Idul Fitr, (festa religiosa em comemoração do final do mês de Ramadan). É um dia de alegria, comemorado pelos muçulmanos, começando por dirigirem-se à Mesquita para a oração. Nesse dia, Deus pergunta aos anjos: “Qual deve ser a recompensa daqueles servidores que cumpriram o serviço deles devidamente?” Os anjos respondem: “Ó nosso Senhor e Mestre! na verdade eles devem receber toda a recompensa por completo. Aí Allah diz.  “Eu testemunho-vos, ó anjos, por eles terem jejuado para Mim durante o mês de Ramadan e por terem ficado em pé nas orações nas noites, Eu lhes garanti como recompensa a Minha satisfação e lhes garanti o perdão”.

ALLÁHU  AKBAR   –  ALLÁHU AKBAR. LÁILAHA  IL – LALLÁHU. WALLÁHU  AKBAR. ALLÁHU  AKBAR.  WALIL – LÁHIL – HAMD.

Allah é o Maior. Allah é o Maior. Não há outra divindade excepto Allah e Allah é o Maior, Allah é o Maior e todos os louvores pertencem só a Allah.

Segundo Anas Bin Malik (Radiyalahu an-hu), no dia de Idul Fitr, o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam), não saía de casa sem comer algumas tâmaras. Anas acrescentou, que as tâmaras consumidas eram de número impar.- Bukhari.

Nas orações de Idul-Fitr e de Idul-Adhá, não há azan nem ikhamah (chamamento para a oração). Não há também qualquer oração facultativa entre as orações de Fajr e dos Ides. Primeiro realiza-se a oração e depois o Khutbá (ao contrario da oração de Juma). Não é permitido jejuar nos dias de Ide – Bukhari.

Segundo o referido no Bukahri, o crente que pretenda dirigir-se para efectuar a oração de Ide, deve ir por um caminho e regressar noutro. Outra recomendação do Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam), é o de vestir a melhor roupa e de utilizar o melhor perfume.

Nesse dia festivo, os crentes cumprimentam-se, pedindo a Deus que aceite todos os actos de adoração praticados durante o mês de Ramadan. Utilizando uma recomendação feita há mais de 1.400 anos, distribuam prendas entre vocês. De pais para filhos de filhos para pais, entre vizinhos e amigos, vamos comemorar este Ide que se aproxima, aumentando a nossa  amizade e harmonia. É isso também o que o Islam nos ensina – a paz e a irmandade entre as pessoas. As prendas devem ser úteis e não necessariamente dispendiosas. Também é uma prenda o cumprimento, um abraço efusivo entre amigos, um sorriso, um telefonema para os familiares e amigos que se encontram distantes. Segundo o nosso Profeta Muhammad (Salalahu Alei Wassalamo), dar prendas, aumenta e fomenta a amizade entre os muçulmanos. Segundo Aisha (Radiyalahu an-há), o Profeta (Salalahu Aleihu Wassalam) aceitava prendas e em retribuição, também dava prendas. – Bukhari. 

Terminam as mensagens enviadas ao longo deste mês sagrado, com o título “Jejum , um alimento para a alma”.  Que Allah, nosso Senhor e Criador, me permita viver pelo menos mais um ano, para que no próximo Ramadan, possa enviar outras mensagens semelhantes.

“Wa ma alaina il lal balá gul mubin”  “E não nos cabe mais do que transmitir claramente a mensagem”. Surat Yácin 36:17

“Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. Cur’ane 14:41

“Wa Áhiro da wuahum anil hamdulillahi Rabil ãlamine”. E a conclusão das suas preces será: Louvado seja Deus, Senhor do Universo!”. Cur’ane 10.10.

Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. 14:41.

Abdul Rehman Mangá

26/07/2014

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s