QUIBLA – A DIRECÇÃO PARA A ORAÇÃO

QUIBLA (A Direcção para a oração)

 Em Makka, na era da idolatria, os residentes adoravam os ídolos colocados na Kaaba. Apesar disso, sabiam que a Kaaba foi edificada pelos Profetas Ibrahim (Abraão) e Esmael – Que a Paz de Deus esteja com eles!.Em Makka, residiam também os Judeus e Cristãos que tinham a sua quibla (orientação) para Jerusalém. Na Kaaba, onde se perfilam para a oração em forma de círculo, permitia ao Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) e aos restantes muçulmanos unir os dois quiblas, porque ao levantarem-se para as orações, ficavam em frente da Kaaba e ao mesmo tempo,  virados para Norte (ficando também direccionados para Jerusalém).

Quando o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) emigrou para Madina, já não foi possível unir as duas direcções para as orações, pelo que durante 16 ou 17 meses ele e os restantes muçulmanos efectuaram as suas orações virados para Jerusalém. Na cidade de Madina, viviam os Cristãos e os Judeus, que também se orientavam nas suas orações para Jerusalém. Assim, ficaram satisfeitos ao verem os muçulmanos, também a orarem virados para a mesma direcção.

No entanto, o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam), ansiava receber as ordens de Deus para efectuar as orações virado para Makka. Finalmente essa orientação chegou no segundo ano de hégira (emigração para Madina), no mês de Shaaban, conforme o versículo do Cur’ane: “Vimos-te (Ó Mensageiro) voltar a face para o céu. Agora, orientar-te-emos para uma quiblah que te satisfará. Portanto volta a tua face na direcção da Mesquita Sagrada (Maka). E onde quer que vós (crentes) estejais, voltai as vossas faces naquela direcção. Os povos do Livro sabem  bem que isto é a verdade do seu Senhor, e que Deus não está desatento ao que eles fazem”. 2:144.

A pouca distância da cidade de Madina, na Mesquita de Banu Salma, estava o Profeta a dirigir a oração de Zuhr virado para Jerusalém. Após terem efectuado 2 rakates,  o Profeta recebeu aquela revelação e então todos viraram-se em direcção à Makka. Assim, efectuaram a oração, metade virada para Jerusalém e a outra metade para Makka. A Mesquita ficou conhecida por “Quiblatain”, Mesquita de dois quiblas.

Desde os tempos de Jacob (Israel) até Jesus, os filhos de Israel eram os verdadeiros orientadores da religião de Deus, sendo o centro religioso e espiritual, a cidade de Jerusalém. Na verdade, os Muçulmanos reconhecem Jerusalém como um dos principais lugares sagrados (é o terceiro depois de Makka e Madina). Mas com o advento do islamismo, já não fazia qualquer sentido continuar com essa orientação, pelo que seria lógico mudar-se a quibla. Quando Deus alterou a direcção da oração para a Kaaba, os Judeus ficaram insatisfeitos e começaram a insurgir-se com falsas acusações de se ter praticado uma política de oposição contra eles, pelo que intensificaram a propaganda contra o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam). Foi então revelado o seguinte versículo do Cur’ane: “…Dize: A Deus pertence o oriente e o ocidente. Ele conduz  a quem Ele quer para o caminho direito”. 2:142.  Sobre o assunto, refere também o Cur’ane, no capítulo 2, versículo 177, que a virtude principal não é apenas o voltar os rostos para o oriente ou para o ocidente, mas sim é de quem crê em Deus, no Último Dia, nos Anjos, no Livro e nos Profetas. Deus está em todos os lados e em todas as direcções.

Segue uma outra passagem referente a este acontecimento. Foi narrado por Al Bara Bin Azib (Radiyalahu an-hu): Quando o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) chegou a Madina, ele ficou no início com os seus avós e os tios maternos de Ansar. Ele efectuou as orações virado para Baitul-Maqdis (Jerusalém) durante 16 ou 17 meses, mas ele desejava orar virado para Kaaba (Makka). A primeira oração que ele efectuou virado para Kaaba, foi a  de Assr, na companhia de algumas pessoas. Então, um dos que tinha efectuado a referida oração, saiu e passou por umas pessoas que estavam numa Mesquita a efectuar a oração virados para Jerusalém. Ele disse-lhes, advertindo-os: “Por Deus, eu testemunho que orei com o Apóstolo de Deus virado para Makka (Kaaba)”. Ouvindo estas palavras, as pessoas mudaram imediatamente de direcção para Kaaba.

Os Judeus e os povos das escrituras, estavam satisfeitos ao verem o Profeta nas suas orações virado para Jerusalém, mas quando durante as orações foi mudada a  direcção para Kaaba, eles desaprovaram esta atitude. Al Bara acrescentou à sua narração: “Depois de alterada a nossa direcção das orações para Kaaba (Makka), alguns muçulmanos tinham falecido ou sido mortos  e nós não sabíamos o que dizer deles (acerca das suas orações). Então Deus revelou: “……E Deus jamais anularia a vossa obra, porque é Compassivo e Misericordiosíssimo (ou seja, as orações dos referidos muçulmanos foram válidas). 2:143. Bukhari – Livro 2, número 39.

“Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. Cur’ane 14:41. “Wa ma alaina il lal balá gul mubin”  “E não nos cabe mais do que transmitir claramente a mensagem”. Surat Yácin 3:17. “Wa Áhiro da wuahum anil hamdulillahi Rabil ãlamine”. E a conclusão das suas preces será: Louvado seja Deus, Senhor do Universo!”. 10.10.

Abdul Rehman Mangá

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s