007.12 – SURAT LUQMAN

007.12 – SURAT LUQMAN

“Yiá Buneiiá, Aquimi Salat……….” “Ó meu filho, faça a  oração (na sua devida hora), recomenda as pessoas para o bem (ma’ruf), proibi o ilícito (al-munkar) e sofre pacientemente em tudo o que te suceda, porque isto é firmeza”. Cur’ane 31.17.  Estas são as recomendações ordenadas por Luqman ao seu filho, mas dirigidas a toda à humanidade.

Dedico a todos os jovens, nossos sucessores, que depois da nossa partida deste mundo, possam recomendar aos outros mais novos, a firmeza no cumprimento da religião.

A História  de Luqman, é uma verdadeira fonte de aprendizagem dos conceitos morais e religiosos. Este extraordinário homem, teve o privilégio de ser amplamente referido num capítulo do Cur’ane,  número 31ª., com o seu próprio nome. Devido às suas elevadas qualidades, Deus agraciou-lhe com a sabedoria (mas não com a profecia). Luqman é o sábio (Hakim), não só versado na sabedoria e no conhecimento humano e divino, mas também na prática e cumprimento desse mesmo conhecimento (Amal). No entanto, Luqman é humano e por isso o seu conhecimento é limitado. Só encontramos a perfeição plena em Allah, o Criador de todas as coisas. Assim refere o Cur’ane: “Agraciamos a Luqman com a sabedoria, (dizendo-lhe): Agradece a Deus, porque quem agradece, o faz em benefício próprio….” 31:12

Luqman, associado à vida longa, daí o seu título “o longevo” (Moammar), foi um homem piedoso que se esforçou na adoração e no cumprimento das leis divinas. É referido que ele foi um juiz durante a vida do Profeta Dawud (Aleihi Salam) – David (Que a Paz de Deus esteja com ele). Também é referido que pertenceu ao povo de Ad do Profeta Hud (Que a Paz de Deus esteja com ele). E Deus sabe melhor. Ele contactava frequentemente com príncipes e homens de autoridade, para mediar, pensar e partilhar conselhos. E por causa destes atributos, foi-lhe concedido um especial estatuto, perante os homens.

Das várias descrições que se encontram nos livros religiosos, Luqman é referido como um antigo escravo originário da Etiópia e que se dedicava aos trabalhos de carpintaria. Ele tinha uma estatura baixa e um nariz achatado. Uma vez Luqman estava a pregar a palavra de Deus para umas pessoas  e um deles lhe perguntou: “Não és tu que tinhas como missão tomar conta dos carneiros, na minha companhia, naquele e naquele lugar?” Sim, sou eu, respondeu Luqman. O que te fez para ganhares esta nova posição? Respondeu: “Dizendo a verdade, guardando silêncio nos assuntos que não me dizem respeito.”

Al – Awzai referiu que ouviu de Abdur Rahman Ibn Harmalah, que um homem negro veio ter com Sa’id Ibn Aimusayib, pedindo caridade. Sa’id disse-lhe: “Não te sintas constrangido pela tua cor negra, porque entre as melhores pessoas, há (pelo menos) 3 de raça negra; Bilal Ibn Rabah, Mahja (O escravo liberto por Umar Ibn Al-Ktattab) e Luqman, que era sábio, negro, proveniente da Núbia e que tinha lábios salientes.”

Alguém perguntou a Luqman, o motivo de ser frequentemente procurado pelas pessoas. Respondeu ele, porque tinha atingido a capacidade de conhecimentos, tendo cuidado com a língua, baixando a vista, alimentando-se do lícito, guardando a castidade, cumprindo com as promessas e obrigações, dando hospitalidade às visitas, respeitando os vizinhos e afastando-me daquilo que não lhe dizia respeito.

Eis as advertências que Luqman fez ao seu filho e que constam no Cur’ane:

“Recorda-te quando Luqman disse ao seu filho, exortando-o: ó meu filho, não atribuas parceiros a Deus, porque a idolatria é um grande erro (grave iniquidade).” Cur’ane 31:13.

“’Ó filho meu (disse) Luqman, em verdade, ainda que algo como o peso de um grão de mostarda estivesse (oculto) numa rocha, fosse nos céus, fosse na terra, Allah o descobriria, porque é Omnisciente, Sutilíssimo.” Cur’ane 31/16.

Yiá Buneiiá, Aquimi Salat…… “Ó meu filho, faça a  oração (na sua devida hora), recomenda as pessoas para o bem (ma’ruf) , proibi o ilícito (al-munkar) e sofre pacientemente em tudo o que te suceda, porque isto é firmeza”. Cur’ane 31.17.

“E não vires o rosto às pessoas com vaidade, nem andes com insolência (falta de respeito) pela terra, porque Deus não estima os arrogantes.” Cur’ane 31:18. E ainda refere Allah “E não te conduzas com jactância na terra, porque jamais poderás fendê-la, nem igualar, em altura, às montanhas”. 17:37.

“E modera o teu andar e baixa a tua voz, porque o mais desagradável dos sons é o zurro dos asnos”. 31:19.

E as advertências e outras passagens referidas noutros livros:

“Ó meu filho, se te juntares a um agrupamento de pessoas, cumprimenta-os dizendo “Assalamo Aleikum” – Que a Paz de Allah esteja convosco. Depois tome um lugar e não pronuncies palavras até eles falarem. Se encontrares a eles recordando a Deus, então junta-te a eles. Mas se eles estiverem a fazer algo diferente, então retira-te deles e procure outros (que estejam a recordar a Deus).”

Luqman disse ao seu filho: “Ó meu filho, tome a obediência a Allah como tua constante (negocio/profissão) e tu ganharás proveitos sem quaisquer mercadorias.” E disse: “Tema a Deus e não leves as pessoas a pensarem que tu temes a Allah para obteres honras deles, enquanto o teu íntimo é pecador.”

“Ó meu filho, eu nunca senti qualquer arrependimento por guardar silêncio. Se as palavras são de prata, o silêncio é de ouro”.

Uma vez, quando Luqman era escravo, o seu senhor ordenou-lhe para matar uma cabra e depois trazer-lhe duas das mais  agradáveis partes. Luqman assim fez e trouxe para ele, a língua e o coração. E o seu senhor perguntou-lhe se não havia mais nada agradável, em relação ao que trouxe? E Luqman respondeu que não. Mais tarde, o seu senhor ordenou-lhe para matar outra cabra e trazer-lhe as duas partes mais malignas do animal. Assim fez Luqman e trouxe a língua e o coração. O ordenante, surpreendido, replicou: “Eu ordenei-te que me trouxesses as partes mais deliciosas e trouxeste a língua e o coração. E depois ordenei-te para trazeres as partes mais malignas e trouxeste a língua e o coração. Como pode ser isso?”. Luqman disse: “Nada mais pode ser mais delicioso do que a língua e coração se eles forem bons e nada mais poderá ser mais maldoso, se os mesmos forem malignos”.

Mais outra advertência de Luqman: “Ó meu filho, tenha um falar bom e uma cara sorridente e tu será mais amado pelas pessoas do que aqueles a quem são dadas provisões. A cordialidade é o principal da sabedoria. Se tu te mostrares agradecido às pessoas, eles te mostrarão agradecidos a ti. Tu colherás o que semeaste. “Ame os teus amigos e os amigos do teu pai”.

Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. Cur’ane 14:41. Wa ma alaina il lal balá gul mubin” “E não nos cabe mais do que transmitir claramente a mensagem”. Surat Yácin 36:17. “Wa Áhiro da wuahum anil hamdulillahi Rabil ãlamine”. E a conclusão das suas preces será: Louvado seja Deus, Senhor do Universo!”. 10.10. “Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. 14:41

Abdul Rehman Mangá

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s