A MÃO DE CIMA É MELHOR DO QUE A MÃO DE BAIXO

004.04 – A MÃO DE CIMA É MELHOR DO QUE A MÃE DE BAIXO.

O TRABALHO DIGNIFICA O SER HUMANO. Omar Ibn Al-Khatab (Radiyalahu an-hu) referiu que o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “Se vocês fizerem Tawakkul a Allah Subhanahu Wataala, Ele sustentar-vos-á como Ele sustenta os pássaros que saem de manhã com o estômago vazio e regressam à noite com o estômago cheio”. At-Tirmizi. Sobre este hadice, Omar encontrou algumas pessoas e lhes perguntou o que faziam e eles respondiam de que faziam Tawakkul (não trabalham e esperam a graça de Deus). Omar lhes disse: “Vocês são mentirosos, não têm Tawakkul, porque quem tem Tawakkul é aquele que planta a semente (que trabalha) e depois confia em Allah”. Al-Hákim. Deus garantiu a todos os seres vivos o Rizk (sustento), mas incentiva a procura do mesmo.

Há certas pessoas que ganharam o hábito de viver da caridade e de donativos. Não trabalham por preguiça, apesar de serem fisicamente capazes. Para além de terem em casa bens essenciais para viverem condignamente, ainda possuem outros bens que se podem considerar supérfluos, dadas as suas condições de pedintes. Preferem ficar à espera da ajuda em vez de irem à procura do trabalho. O Islam é contra a preguiça e enaltece o trabalho. Todos devem participar activamente no desenvolvimento dos seus países ondem vivem, independentemente de serem lá originários ou não. Outros com a intenção de procurar melhores condições para as suas vidas, emigram para outros países, mas acabam por ficar “contagiados” pelos benefícios sociais, acomodam-se e nada produzem, a não ser críticas aos países que os acolheram.

Os que não tem apetência para o trabalho, porque a preguiça é maior do que a necessidade de se sustentarem, acabam por cair na “armadilha” montada pela própria preguiça e ficam dependentes da caridade alheia. Quando se encontram em estado de necessidade absoluta, ficam divididos entre o Zakat ou a auto-suficiência. Mas acabam por receber a caridade para atenuarem a situação do momento, prometendo a eles próprios de que é uma situação de emergência. Infelizmente a preguiça continua a ser imensa e o ciclo repete-se “o Zakat ou a minha auto-suficiência?”. Acabam por arrastar as suas famílias para a pobreza, prejudicando o crescimento e a educação dos filhos. Issa (Aleihi Salam) – Jesus, que a Paz de Deus esteja com ele, encontrou um homem e perguntou-lhe: “o que fazes tu?” “Devoto-me a Deus”, respondeu o homem. “E quem te sustenta?” Perguntou Issa. Respondeu o homem: “o meu irmão”. Retorquiu Issa “O teu irmão é mais devoto a Deus do que tu”. Relato de Abdallah Ibn Qutayba.

“Não existe criatura sobre a terra cujo sustento não dependa de Allah…” Cur’ane 11:6. A melhor mão é aquela que dá. Hakim bin Hizam (Radiyalahu an-hu) referiu que o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “A mão de cima é melhor que a mão de baixo (ou seja aquele que dá a caridade é melhor do que aquele que recebe). Deve-se começar a dar primeiro aos seus dependentes. E o melhor da caridade é o que é dado por uma pessoa com posses (com dinheiro que lhe resta das sua despesas). E quem se abstém de pedir ajuda financeira, Deus irá fazê-lo auto suficiente”. Bhukari 24:508. O verdadeiro pobre não é aquele que fica à volta das pessoas, insistindo e importunando-as. O Islam exorta os crentes para trabalharem e evitarem a mendicidade. O melhor sustento é aquele que é obtido através das próprias mãos e proveniente de trabalhos e negócios honestos e lícitos.

Abu Huraira (Radiyalahu an-hu) referiu que o Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “O pobre não é aquele que pede aos outros, um ou dois pedaços (de comida). Mas o pobre é aquele que não tem nada e tem vergonha de mendigar perante outros”. Bukhari 24:554.

“E fizemos o dia como um período de subsistência”. Cur’ane 78:11. E  vos demos o poder sobre a terra, a qual proporciona-vos a subsistência. Poucos são os que agradecem”. Cur’ane 7:10. Não é uma contradição à exortação dos que têm, para darem o Zakat, mas é um incentivo para que o crente necessitado possa encontrar subsistência através do seu trabalho. O Zakat foi instituído para combater a pobreza, no entanto não substitui a iniciativa de cada um, para procurar o seu sustento. O Trabalho lícito é também uma forma de adoração. Deus garantiu a todos o rizk (sustento) e nos incentiva a trabalhar.

É o exemplo dos pássaros que pela manhã cedo saem dos seus abrigos e voltam saciados da fome e da sede. O Ser humano não pode sair por aí colhendo o fruto do trabalho dos outros. Com a sua capacidade de inteligência e raciocínio que Deus lhe deu, deve procurar produzir os meios necessários para ser auto suficiente. Para aqueles que não conseguem suprir por si próprios o seu sustento, Deus instituiu o Zakat. Segundo Iyadh Ibn Himar (Radiyalahu an-hu), o Profeta de Deus (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “Um dos 3 moradores do paraíso, será um homem honesto que se recusa pedir às pessoas, ainda que seja pobre e com família numerosa”. Muslim.

Façamos duah (prece) para que Allah, nosso Senhor, Criador e Sustentador, com a sua infinita Misericórdia nos mantenha honestos. E que nos faça preocupados na obtenção do nosso rizk (sustento lícito) e não dependentes das Suas criaturas. Amin.

Se todos os muçulmanos que se encontram na obrigação de pagar o Zakat cumprissem com este pilar e se os necessitados que não trabalham por preguiça ou por desleixo, procurassem a sua subsistência, a Umah (muçulmana) viveria sem grandes preocupações e alguns até teriam dificuldades em encontrar alguém disposto a receber o Zakat. É um sonho? Talvez, mas possível de se realizar, desde que haja boa vontade de todos! Ali (Radiyalahu an-hu), referiu que o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “Allah  fica satisfeito quando Ele vê os Seus servos trabalhando e batalhando, na procura do seu sustento lícito”. É diferente a situação  daqueles que por motivos justificados, vêm-se obrigados a pedir ajuda. Neste caso, é obrigação de todo o muçulmano ajudar o seu semelhante que se encontra necessitado, não só doando bens materiais, mas também dando conselhos e  palavras amigas.

“ALLAHU NURO SAAMÁ WÁTI WAL ARDH. “ALLAH É A LUZ DOS CÉUS E DA TERRA”. Wa ma alaina il lal balá gul mubin” “E não nos cabe mais do que transmitir claramente a mensagem”. Surat Yácin 36:17. “Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. Cur’ane 14:41.  “Wa Áhiro da wuahum anil hamdulillahi Rabil ãlamine”. E a conclusão das suas preces será: Louvado seja Deus, Senhor do Universo!”. 10.10.

Abdul Rehman Mangá

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s