011.01 – A VIDA DEPOIS DA MORTE

011.01- A VIDA DEPOIS DA MORTE

O mundo chegará ao fim (Qiyámat). Todos seremos julgados pelos nossos actos. Será numa sexta-feira, dia 10 de Muharram (primeiro mês do calendário Islâmico) e nesse dia, Allah o Eterno, incumbirá  o anjo Issráfil (Aleihi Salam), para  soprar a trompeta. Com o respectivo som, toda a vida existente no mundo será destruída. A terra será sacudida, as montanhas  transformar-se-ão como flocos de algodão, o sol e a lua e todo o universo ficarão destruídos.

Diz o Cur’ane: “Tudo o que existe na terra perecerá. E só subsistirá o Rosto do teu Senhor, o Majestoso, o Honorabilíssimo”. 55:26-27.

Duma maneira geral, depois da nossa morte, colocar-nos-ão numa sepultura, aguardando o dia da ressurreição. De acordo com Ahmad Ibn Hambal, em Kitab al-Zuhd, Issa (Aleihi Salam) – Jesus, que a Paz de Allah esteja com ele, estava com os seus discípulos junto a uma sepultura quando foi questionado acerca da escuridão, solidão e pequenez do sepulcro. Jesus (Que a Paz de Allah esteja com ele), disse: “Já estivestes uma vez num lugar mais pequeno do que este, no ventre das vossas mães. Se Allah deseja aumentar (a Sua misericórdia), fá-lo”.

Depois de morrermos, quantos anos vamos permanecer nas nossas sepulturas? 100, 1.000, 100.000, 1.000.000 anos? O corpo morre e ao longo dos anos transformar-se-á outra vez em . Esse pó espalhar-se-á pelos rios, por todos os oceanos, por todos os continentes, arrastado pelos ventos e pelas infiltrações das águas das chuvas. Alguns dos corpos foram queimados e as cinzas espalhadas. Outros foram devorados por animais. Outros afogados, serviram de banquete para os seres marinhos.

O Anjo Issráfil ao soprar a  trompeta pela segunda vez,  todos os mortos serão ressuscitados das suas campas e  reunidos para a prestação de contas.

Em que condições é que seremos ressuscitados? Se ao longo dos anos o nosso corpo se transformou em pó e espalhado pelos quatro cantos da terra? A resposta é encontrada no Cur’ane, no diálogo entre O Criador de todas as coisas e o Profeta Ibrahim (Aleihi Salam) – Abraão, que a Paz de Allah esteja com ele.

O Profeta Ibrahim (Aleihi Salam) tinha a convicção da ressurreição e na vida depois da morte. Para aumentar a sua fé,  pediu a Deus para lhe amostrar como são ressuscitados os mortos. Allah Subhanahu Wataala aceitou o pedido, segundo refere o Cur’ane:

“E quando Ibrahim disse: “Meu Senhor! Mostra-me como ressuscitas os mortos”. Allah disse; “Tu (ainda) não crês?” Ele respondeu: “Sim, mas pergunto para tranquilizar o meu coração”. Allah disse: “Toma quatro pássaros, despedaça-os e coloca uma porção deles em cada montanha e em seguida, chama-os: eles virão para ti, rapidamente. E fica sabendo que Allah é Poderoso e Sábio.” 2:260.

O Profeta Ibrahim (Aleihi Salam) depois de  proceder como Allah ordenou, chamou os pássaros pelos seus nomes e imediatamente as partes separadas dos pássaros juntaram-se aos respectivos corpos originais e começaram a voar novamente para junto dele. Quem assistisse a um milagre destes, nunca mais seria assaltado por qualquer dúvida. Allahu Akabar!

Não faz sentido as pessoas simplesmente morrerem e nada mais acontecer, como referem os descrentes. Nesse caso, para os que praticam actos criminosos e pecaminosos, contrários às ordens de   Allah e dos Seus Mensageiros, a não existência do dia do julgamento final, seria o equivalente a um prémio pelos seus actos terrenos. Os que  praticaram sempre o bem, não quererão ser recompensados? Assim, um dia prevalecerá a justiça Divina. Refere o sagrado Cur’ane: 38.28: “Porventura, trataremos os fiéis, que praticaram o bem, como os corruptores na terra? Ou então trataremos os tementes como os ignóbeis?”.  A fé na vida depois da morte é o factor decisivo na vida do ser humano. Toda a alma provará o sabor da morte e no dia da Ressurreição, sereis recompensados integralmente pelos vossos actos; quem for afastado do fogo do inferno e introduzido no Paraíso, triunfará. Que á a vida terrena, senão um prazer ilusório?

Allah, Rabbul-l-Asrh (o Senhor do Trono) refere no Cur’ane: “…. E todos serão julgados com equidade e não serão defraudados.” – Surah Zúmar 39:69.

Toda a boa acção, por mais pequena que pareça, será registada no livro das boas acções. Também a mais insignificante má acção, será também registada no livro das más acções. Para cada boa acção, Allah, Arhamu-r-Ráhimin (o Mais Misericordioso dos que mostram a misericórdia) multiplica em muito (no mínimo por 10) as acções a registar. No entanto, uma má acção será considerada uma só acção. Haverá pecados que não estarão registados no livro das acções porque entretanto surgiu o arrependimento. Este é Allah, o Perdoador.

A beneficência e a misericórdia serão tidos em conta, como por exemplo a mulher que será perdoada, apesar de ter uma moral fraca,  porque ao observar um cão sedento à beira do poço, lambendo a areia molhada, sentiu pena do animal, descalçou o sapato de pele atou-o ao seu lenço, tirou a água do poço e deu de beber ao cão. Outro homem que ao ver um gatinho cheio de frio, mostrou um acto de bondade,  ao embrulhar o pequeno animal com uma manta e por isso foi perdoado. No dia do julgamento final, as pequenas boas acções terão em conta para a recompensa.

Abdul Malik (Radiyalahu an-hu), viu no seu sonho, Aamir Bin Quais (Radiyalahau an-hu), depois da sua morte e lhe perguntou como é que ele estava. Ele respondeu que estava muito bem. Então ele voltou a perguntar qual foi a melhor virtude de todas as virtudes por ele praticadas (para obter a tranquilidade no paraíso) e ele respondeu: A  acção praticada com a melhor das intenções, é a melhor acção.”

Diversas referências são feitas no Cur’ane,  acerca do paraíso. “….Os guardiães lhes dirão: A Paz esteja convosco! Quão excelente é o que fizestes! Entrai, pois (no jardim das delícias e vivei nele….” Surat Zúmar: 39:73. “naquele lugar há rios de água não poluída e rios de leite de sabor inalterável e rios de vinho deliciosos para os que o bebem e rios de mel purificado”. Surah Muhammad: 47:15. E refere o nosso Criador e Sustentador:  “Eu preparei para o Meu servo piedoso, o que nenhum olhar viu, nenhum ouvido ouviu, nem nenhum coração humano concebe”.

 Abu Huraira (Radiyalahu an-hu) referiu que o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “Há uma árvore no paraíso, cuja sombra estende-se de tal forma que um caminhante demora mais de cem anos a percorre-la”. – Mishkaat.

É referido por Thhabit Al-Bunaani: “Quando alguém morre, sua família e parentes que morreram antes, cercam-no de todos os lados. Eles estão felizes e ele está feliz, muito mais do  um viajante que regressa a casa para a família”. – Ibn Abid Dunyaa.

Abu Huraira (Radiyalahu an-hu) referiu  que o Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “Os filhos menores dos crentes, viverão numa montanha do paraíso, sob a supervisão de Abraão e de Sarah (Que a Allah de Deus esteja com eles). Eles tomarão conta deles e entregarão as crianças aos seus parentes no dia do julgamento.”

No local da ressurreição, estará Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) para nos dar de beber a água de Khauçar, que nos acalmará a sede e os tormentos desse dia. Segundo Abu Hurairah (Radiyalahu an-hu), o Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “O meu haud (reservatório) será muito largo, maior do que a distância que separa Ealah de Aden. (A água) será mais branca do que o gelo e mais doce do que o mel com leite; os seus utensílios serão em maior número do que as estrelas. Eu afastarei as pessoas estranhas, da mesma maneira que são afastados os camelos estranhos ao haud (reservatório). As pessoas perguntaram: “Reconhecer-nos-ás nesse dia, ó Profeta de Allah?” Ele respondeu: “Sim, vós tereis um sinal que mais nenhum ummah (povo) possuirá. Vireis ter comigo num estado tal que as vossas faces, mãos e pés brilharão devido aos feitos do wudu (ablução).” Muslim e Mishkaat.

Allama Ibne Qayyim escreveu que a alma passa por 4 casas: 1)- O ventre da mãe, que é apertado e inteiramente escuro; 2)- O mundo, onde ele nasceu e onde irá praticar boas ou más acções; 3)- Barzack, a casa da morte até ao dia do julgamento final. 4) Não haverá outra casa no Akhirat (além), a não ser o paraíso ou o inferno.

Num dos debates que participei, um ateu (que se dizia convicto, não acreditar em Deus e nem na via futura),  perguntou-me se ele também depois da morte, teria direito a ir para o céu (leia-se paraíso). Se ele não acredita na vida depois da morte, porque se preocuparia ele? Em jeito de resposta, perguntei-lhe se ele aceitaria receber na sua casa, como seu hóspede, alguém que ele considerasse uma “persona não grata”? Respondeu-me ele: “Não”. Por aqui podem deduzir qual foi a minha resposta.

vós trabalhais por este  mundo, onde tudo vos é concedido sem trabalho e não trabalhais para a próxima vida, onde nada vos será concedido sem trabalho” – Issa –Aleihi Salam – Jesus – Que a Paz de Allah esteja com ele. – Relato de Abu Uthman al-Jahiz.

Rabaná ghfirli waliwa lidaiá wa lilmu-minina yau ma yakumul hisab”. “Ó Senhor nosso, no Dia da Prestação de Contas, perdoa-me a mim, aos meus pais e aos crentes”. Cur’ane 14:41. “Wa ma alaina il lal balá gul mubin”  “E não nos cabe mais do que transmitir claramente a mensagem”. Surat Yácin 3:17. “Wa Áhiro da wuahum anil hamdulillahi Rabil ãlamine”. E a conclusão das suas preces será: Louvado seja Allah, Senhor do Universo!”. Cur’ane 10.10.

Abdul Rehman Mangá

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s